Projeto isenta produtor rural de pagar IPI na compra de caminhonetes

Para o senador Jayme Campos (DEM-MT), a medida é justa, pois o produtor rural não dispõe de estradas asfaltadas como os motoristas das cidades

Foto: Pixabay

Um projeto que garante a produtores rurais o direito à isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) na compra de caminhonetes foi aprovado na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA), nesta semana.

Para o senador Jayme Campos (DEM-MT), relator do projeto, “a medida é justa com o produtor rural, que na maioria das vezes não dispõe de estradas asfaltadas como os motoristas de centros urbanos. ”

Conforme o texto, o projeto facilita a aquisição de veículos do tipo caminhonete, sendo este tipo o mais apropriado para o trânsito nas estradas vicinais, frequentemente, em más condições e que permitem ainda transportar cargas das mais variadas para a atividade agropecuária.

Para o autor do PL 2966/2019, senador Irajá (PSD-TO), a redução de impostos é ainda fundamental para aumentar a competitividade no campo. “Menos tributos, mais eficiência. É isso que os produtores rurais merecem”, afirmou.

Para ter acesso

De acordo com a proposta, para ter acesso à isenção, o produtor rural deve possuir inscrição estadual ativa, ter pelo menos um módulo fiscal de área e ao menos um empregado registrado em sua matrícula no Cadastro Específico no Instituto Nacional do Seguro Social – INSS (CEI).

O senador tocantinense ressaltou que a proposta deve impulsionar a indústria automotiva, que gera milhares de empregos no Brasil.

“Temos que fazer a roda da economia voltar a girar. Com menos impostos, o consumo aumenta, gera empregos, renda e o governo arrecada mais recursos para investir em segurança, saúde e educação”, defendeu Irajá.

Validade

A isenção é válida para veículos de transporte de carga desde que seja de fabricação nacional, com peso bruto total de até 3,5 mil quilos, quando adquiridos por produtor rural, sendo este a pessoa física que exerça profissionalmente atividade de agricultura, pecuária, piscicultura e outras culturas animais, ou extração e exploração vegetal ou animal.

 

A proposta segue para a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE). Se aprovada, será encaminhada para análise na Câmara dos Deputados.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNa Espanha, Mato Grosso defende tolerância zero ao desmatamento ilegal
Próximo artigoAnaíde é demitida

O LIVRE ADS