Polícias Militar e Civil alteram rotina e priorizam atendimento virtual

Polícia Militar fará patrulhamento, mas também uma análise mais rigorosa antes de ir ao local de um crime

As polícias Militar e Civil alteraram sua rotina de atendimento à população em adaptação ao quadro do novo coronavírus. O patrulhamento pelas cidades continua, porém, o atendimento a ocorrências ficará restrito aos casos de risco à pessoa e à sociedade. 

As modificações estão sendo implantadas pela corporação a partir de portaria publicada na quinta-feira (19). 

“É importante que as pessoas saibam que o patrulhamento da polícia vai continuar. Mas, vamos tomar algumas medidas para nos adaptarmos a essa situação do coronavírus, como ir ao local somente de casos que coloquem em risco a vida, roubo e tentativa de homicídio, por exemplo”, diz o coronel Dias. 

 A PM já orienta que os registros de boletim de ocorrência sejam feitos online, serviço disponível na página oficial da corporação na internet.  

Segundo o coronel Dias, os procedimentos para atendimento dos casos como furto continuarão do mesmo modo, haverá avaliação mais rigorosa para o acompanhamento local das ocorrências. 

“Vamos ao local verificar o que está acontecendo. E, sempre que possível, vamos procurar manter a distância de dois metros das pessoas. A primeira coisa que vamos perguntar é se há alguém com suspeita do coronavírus”, explica. 

Máscara, luvas e dois metros de distância agora são rotina no trabalho policial (Foto: Ednilson Aguiar/O LIVRE)

Preso criminal e sanitário 

A distância de dois metros de outra pessoa no atendimento de ocorrência está prevista na Portaria nº 04/2020 publicada pelo Comando Geral da Polícia Militar. O cuidado é para evitar a contaminação pelo novo coronavírus. 

“Vamos higienizar as partes do corpo que entrou em contato com outras e equipamentos em uso. Se houver contato, vamos calçar luvas e usar máscaras”, diz o coronel Dias. 

As pessoas presas em ocorrência nos próximos dias passarão, primeiro, pela avaliação de uma equipe médica.  

O objetivo é traçar o quadro de saúde do preso com foco nos sintomas de contaminação pelo coronavírus. 

O preso com quadro viral entrará na classificação de pacientes suspeitos e será encaminhado para uma unidade de saúde. 

Investigação 

A Polícia Civil também dará prioridade a atendimentos virtuais nos próximos dias. O sistema da Delegacia Virtual será usado como serviço de pré-registro de todas as ocorrências.  

Após o preenchimento via o sistema, o usuário poderá fazer a validação das informações por meio de telefones, sem a necessidade de deslocamento a uma delegacia. 

Segundo a Polícia Judiciária Civl (PJC), essa modificação temporária não afetará os casos que já vinham sendo tratado virtualmente. 

Oitiva de investigado ou testemunha está suspensa até a mudança de quadro do coronavírus (Foto: Ednilson Aguiar/O Livre) 

Conforme o delegado-geral da Polícia Civil, Mário Dermeval Aravéchia de Resende, nesse período de prevenção, ficam suspensas, temporariamente, todas as intimações para oitivas de vítimas, investigados ou terceiros em procedimentos policiais que não sejam prioritários.

A exceção é para os casos de investigados que já estão presos. 

A suspensão vale para testemunhas ou investigados classificados no grupo de risco: maiores de 60 anos de idade, gestantes, lactantes.

Só haverá atendimento presencial para os casos que a polícia chama de “urgente e imprescindível”. 

Acompanhamento de inquéritos 

Advogados, vítimas e outros interessados no acompanhamento de inquéritos em tramitação receberão orientação por telefone ou outro meio de comunicação eletrônica. 

Petições, pedidos e outros requerimentos deverão ser enviados por e-mail. 

Já as restituições de bens apreendidos terão agendamento. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHomens são presos por vender álcool em gel fabricado com etanol
Próximo artigoApós flagrante, idoso é denunciado por oferecer presentes para estuprar crianças

O LIVRE ADS