“Não se vai aceitar que a Justiça Eleitoral legisle”, afirma Arthur Lira

A fala foi considerada uma resposta ao ministro Barroso, que vem tentando impedir as mudanças na urna eletrônica

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

O presidente da Câmara dos Deputados, deputado federal Arthur Lira (PP-AL), respondeu às provocações contra o voto eletrônico auditável feitas pelo ministro do STF e presidente do TSE Luís Roberto Barroso.

Em entrevista nesta quarta-feira (04), Lira afirmou que não é papel da justiça eleitoral criar leis.

De acordo com o presidente da Câmara, cabe ao Congresso Nacional, e não à Justiça Eleitoral, definir eventuais mudanças na legislação.

“Aqui nós temos criado, pelo próprio Congresso, a Justiça Eleitoral, que visa a administrar as eleições, fazer com que elas transcorram de forma tranquila, arbitrem. O que não se pode, o que não se deve e o que não se vai aceitar é que a Justiça Eleitoral legisle”, disse Lira em entrevista à Rádio Bandeirantes.

Resposta a Barroso

A fala foi considerada uma resposta as provocações do ministro Barroso, que vem se posicionando contra as mudanças eleitorais que permitiriam o voto auditável.

Desde que Bolsonaro se posicionou em defesa do voto auditável, o ministro Barroso vem tentando impedir as mudanças na urna eletrônica.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPelo Twitter, Bernardo Küster sugere prisão para ministro Luís Roberto Barroso
Próximo artigoPrevidência: ALMT deve criar duas faixas de cobrança para servidores públicos