Não caia nessa! Redes sociais não ajudam famílias por compartilhamento

Você já deve ter recebido, em alguma rede social, uma imagem, às vezes acompanhada de áudio, dizendo que a cada compartilhamento o Whatsapp, ou o Facebook, doarão algum dinheiro para a família do bebê doente na foto.

Reprodução

Fake News

Nesta semana, uma dessas imagens viralizou no Whatsapp dos cuiabanos. Nela aparece uma família – três mulheres, um homem e um bebê recém-nascido -, em um hospital. Junto à imagem, é enviado um áudio que diz:

“Esse nenêzinho tem câncer no sangue e cada vez que a gente compartilhar a foto, a mãe dessa criança ganha R$ 1 para o tratamento. Por isso que a gente está compartilhando, se você puder compartilhar também para estar ajudando, o Whatsapp paga para a mãe dele R$ 1 para cada compartilhamento desse neném”.

O boato já foi postado pelo site “boatos.org”, especializado em desmentir correntes e matérias falsas, seja sobre famosos, brincadeiras, ou até tentativas de estelionato.

O caso da foto da família, segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp), seria estelionato se a família registrasse boletim por estarem usando a imagem de forma irregular. Porém, o compartilhamento não é crime, visto que isso é apenas a atitude da pessoa que, muitas vezes, nem sabe que a corrente é falsa.

Por isto, o LIVRE indica que você tenha em mente que dificilmente um caso como esse seria real, visto que o Whatsapp não tem controle sobre as mensagens enviadas pelo aplicativo, já que todas as mensagens são criptografadas, inclusive as imagens.

Instagram

Se você realmente quiser ajudar alguém que precisa através das redes sociais, conheça o Instagram “Seguidor Solidário”, que a cada seguidor doa R$ 0,10 para alguma pessoa, ou entidade que precise.

O perfil funciona da seguinte forma: a cada 100 mil seguidores, é doado R$ 10 mil para a campanha da vez, que é divulgada antecipadamente. A doação vem de 10 pessoas/empresas parceiras do IG. A cada R$ 10 mil doados, uma nova campanha é iniciada.

Famosos como Kelly Key, Ivete Sangalo, Cláudia Leitte e Bella Falconi já divulgaram as campanhas do perfil. A última doação foi feita para o Aron, um bebê que sofreu uma lesão na medula, que o deixou tetraplégico. A família luta por R$ 1 milhão, para que o bebê passe por uma cirurgia que o permitirá respirar sem aparelhos.

O Seguidor Solidário também já ajudou algumas entidades, como o Instituto Amantino Câmara, de Mossoró (RN) e o Lar Torres de Melo, de Fortaleza (CE). Então, se você quer ajudar com apenas um click na internet, conheça o trabalho do Seguidor Solidário.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMãe de Selena Gomez admite não estar feliz com o relacionamento da filha com Justin Bieber
Próximo artigoGilmar Mendes é “homenageado” em marchinhas de carnaval