Museu resgata obra de Villa-Lobos

A exposição recupera as músicas compostas por Villa-Lobos em diferentes filmes de animação

Exposição no Rio de Janeiro recupera O Carnaval das Crianças Brasileiras do compositor Heitor Villa-Lobos (1887-1959). A peça, pouco conhecida do grande público, é formada por oito temas e começou a ser composta há exatamente um século (1919) para apresentação de balé, nunca encenado, com orquestra no fosso.

“Villa-Lobos compõe O Carnaval das Crianças para relembrar as folias de sua infância e dedica a obra a um sobrinho”, conta a musicista Claudia Castro, diretora do Museu Villa-Lobos – um casarão do século XIX, tombado pelo Patrimônio Histórico e recentemente recuperado, no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro. O museu criado em 1960, por Juscelino Kubistchek, guarda o acervo do compositor.

Exposição O Carnaval das Crianças Brasileiras no Museu Villa-Lobos, em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro.
Exposição O Carnaval das Crianças Brasileiras no Museu Villa-Lobos, em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro. – Tomaz Silva/Agência Brasil

A exposição recupera as músicas compostas por Villa-Lobos em diferentes filmes de animação que revivem os personagens do balé, como “Pierrette”, “Dominozinho”, “Trapeirozinho” e o “Mascarado Mignon”. E traz fantasias inspiradas em figurinos desenhados por Emiliano Di Cavalcanti (1897 – 1976), a pedido de Villa-Lobos, para a encenação inédita.

A animação foi feita pelo Núcleo de Arte Digital e Animação da Pontifícia Universidade Católica do Rio (N.A.D.A/PUC-Rio) e foi idealizada pela curadora da exposição Maria Alice Volpe, musicóloga e professora da pós-graduação da Escola de Música da UFRJ.

A expectativa de Cláudia Castro é de que os desenhos animados possam ser vistos a partir do segundo semestre no site do museu em atualização e nas redes sociais, após autorização das gravadoras. “Queremos levar isso aos professores do ensino básico para que eles possam apresentar Villa-Lobos às crianças nas escolas”, revela a diretora.

Escola de Samba

A ação educativa do museu rendeu, antes da exposição (inaugurada em 10 de maio), desfile de carnaval. O compositor foi tema do desfile da Escola de Samba Mirim Pimpolhos da Grande Rio. A apresentação levou mil crianças à Sapucaí no dia 5 de março, data que marcou os 132 anos de nascimento do maestro.

Exposição O Carnaval das Crianças Brasileiras no Museu Villa-Lobos, em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro.
Exposição O Carnaval das Crianças Brasileiras no Museu Villa-Lobos, em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro. – Tomaz Silva/Agência Brasil

O enredo “Tuhu, Tuhu, nosso trem já vai partir” foi proposto à agremiação pelo Museu Villa-Lobos em conjunto com o Museu Nacional de Belas Artes. Tuhu era o apelido de família de Heitor Villa-Lobos quando criança. “Foi uma iniciativa muito interessante. As crianças vieram visitar os museus, os professores aprenderam sobre Villa-Lobos para poder ensinar às crianças”, recorda-se a diretora.

“Para o desenvolvimento cultural precisa haver um intercâmbio institucional e intergeracional entre a tradição e a inovação”, defende a diretora que já foi docente do ensino básico em escolas públicas de Brasília e sempre quis poder apresentar às crianças a música de Villa-Lobos”. A exposição no Rio fica aberta a visitas até abril de 2020.

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEstado desativou três delegacias e mais três devem ser fechadas até o final da semana
Próximo artigoFilme de MT sobre indígena LGBT é indicado ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

O LIVRE ADS