MPE diz que não houve agressão em caso de investigador que empurrou idoso

Caso aconteceu em julho, quando o agente da Polícia Civil empurrou um idoso de 91 anos dentro de agência bancária

O Ministério Público do Estado (MPE) optou por não oferecer denúncia contra o investigador da Polícia Civil Aílton Afonso Batista, de 51 anos, acusado de empurrar o idoso Vitalino Xavier dos Santos, de 91 anos, em uma agência bancária de Cuiabá, em julho deste ano. Segundo o MPE, não houve agressão. O caso, então, acabou enviado para o Juizado Especial Criminal de Cuiabá (Jecim).

De acordo com a análise do promotor Adriano Augusto Streicher de Souza, o caso não pode ser considerado injúria real ou qualificada – isto é, vias de fato, ou situações humilhantes -, porque “o indiciado apenas imputou crime à vítima, a empurrando”. “Portanto, não restou demonstrado que a conduta praticada pelo indiciado consistiu na utilização de elementos referentes à ‘condição de pessoa idosa’”, diz trecho do documento.

O promotor, porém, destacou que o investigador teve uma atitude “reprovável” e que o caso pode ser considerado calúnia, uma vez que Batista acusou o idoso de um delito. No entanto, o crime só procede se houver queixa-crime, que pode ser feita em até seis meses da data em que o acusado é identificado, por meio de um advogado.

Ainda na avaliação do MPE, pode ser considerado que houve abuso de autoridade por parte do investigador de polícia. O ato é considerado crime e tem como pena máxima a detenção de seis meses.

Ao entender que houve abuso, o promotor remeteu o caso ao Jecrim, considerando que se trata de uma infração de menor potencial ofensivo. Nesses casos, é marcada audiência de conciliação entre o agressor e a vítima.

O caso

A agressão ao idoso de 91 anos ganhou repercussão nacional depois que testemunhas divulgaram vídeos nas redes sociais. Na época, o LIVRE noticiou o fato.

Conforme registrado no inquérito policial, o investigador da Polícia Civil esteve no banco para imprimir cópia do seu extrato bancário. Depois, foi até um dos balcões para analisar o papel impresso. Foi quando percebeu que havia esquecido seu cartão no terminal de autoatendimento.

Quando foi até o caixa, não encontrou o cartão. Segundo relatou, ele desconfiou do idoso, Vitalino, porque, desde que chegou à agência, o idoso estava sentado próximo ao terminal que ele utilizou.

Então, o policial foi até a vítima e a acusou de ter furtado seu cartão de banco, ao passo que o idoso negou o crime. “Inconformado, Aílton, abusando e invocando a sua autoridade, pegou a bolsa da vítima para realizar vistoria, jogando todos os objetos da bolsa dela no chão, além de revistar a carteira que a vítima portada”, diz trecho do documento.

Ainda segundo o relato, o investigador tentou submeter Vitalino a uma revista pessoal. O idoso, porém, se negou a passar pelo constrangimento. Aílton, então, se identificou como policial, mostrou a arma e gritou “você vai dar conta do meu cartão”, o que teria causado apreensão em todos os que observavam a cena.

As testemunhas do caso foram ouvidas e o idoso chegou a passar por perícia depois do caso, que foi registrado em boletim de ocorrência.

Dias depois, o investigador divulgou uma carta pedindo perdão pelo ato. Ailton disse que é um ser humano como qualquer outro e que agiu “no calor do momento” e garantiu que estava “preparado” para responder pelo crime.

Depois, a família do idoso também divulgou uma carta, na qual afirmou ter perdoado o investigador, mas que ainda iria lutar por seus direitos.

“Todas as vezes que fecho os olhos e imagino aquela cena, de um idoso de 91 anos, indefeso, sendo covardemente agredido por um monstro, que se identifica como policial, confesso que involuntariamente escorrem lágrimas de meus olhos”, dizia trecho do documento.

O processo foi remetido ao Jecrim no final de setembro e um audiência sobre o caso será marcada.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

3 COMENTÁRIOS

  1. Este bandido que se diz policial tem que responder sim por crime danos moraus agressao fisica abuso de poder e mais por nao rezspeutar o idoso de 91 anos qual defesa este pobre teria ? Vagabundo de Ailton ele nao e so acusado tem se provas e testemunhas ,oque mais o ministerio precisa ? Que o Sr seja morto e esquartejado?Incruvel que isso aconteceu com meu paizinho fui ao ministerio publico de Cuiaba na epoca como eu nao morava na mesma cidade Araguainha MT na epoca o escrivao de policia Joarez mesquita se passava por Delegado no local , buscou meu pai em sua humilde residencia ,ameacou o mesmo pra acinar uma declaracao onde o mesmo negava o fato, voltei peguei este boletim que o mesmo nao deu copia pro meu pai e notei caso negado falei com meu pai o pobre estava com medo, deste dia em diante minha familia naquela cidade vurou um caos, ele como traficante da cidade e ladrao de gado tinha e ainda tem poder , continua atuando, meu irmao do nada ele saiu atirando nas costas do meu irmao , a mim ele desferiu 2 tapas em meu rosto junto a outro policial Alair Azevedo fui novamente ao ministerio publico desta vez de Alto Araguaia passei por 2 audiencia o mesmo ameacou minhas testemunhas, pos as mesmas tinha rabo preso com ele por drogas ficaram com medo de morrer e acabaram se mudando da cidade e uma droga esta lei e o ministerio publico de Mt vamos la gente pau no cu deste suposto Ailton que duz ser da policia tratamento igual de bandido a ele afinal ele e um

  2. Tem sim que pagar pir cre de abuso de autoridade, danos morais ,Agressao fisica,e psicologica e maus tratos e desrespeito a um idoso ,este e um monstro como podemos chamar uma coisa destas de ser humano? Cadeia neste bandido e idenizacao paga em dinheiro vivo pro Sr odeio estes que abusa de idosos e criancas seres indefesos e pura covardia vagabundo

  3. Tem sim que pagar por crime de abuso de autoridade, danos morais ,Agressao fisica,e psicologica e maus tratos e desrespeito a um idoso ,este e um monstro como podemos chamar uma coisa destas de ser humano? Cadeia neste bandido e idenizacao paga em dinheiro vivo pro Sr odeio estes que abusa de idosos e criancas seres indefesos e pura covardia vagabundo

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEleições MT 2018: veja quem são os candidatos a deputado federal e faça sua cola
Próximo artigoChris Evans se despede do papel de Capitão América

O LIVRE ADS