Ministro elege lavanderias hospitalares, laboratórios e de telemedicina como empresas primordiais para enfrentar crise

Governo federal vai trabalhar em conjunto com empresas primordiais para atender a esperada alta demanda no setor de saúde

(Foto: Marcello Casal/Agência Brasil)

O ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta afirmou nesta sexta-feira (20), em Brasília, que o governo federal vai trabalhar em conjunto com empresas consideradas fundamentais para enfrentar o período da crise provocada pela proliferação do coronavírus no Brasil.

Ele citou como exemplos lavanderias hospitalares, laboratórios de análises clínicas e empresas de telemedicina e outras do setor de saúde e tecnologia.

Durante videoconferência da qual participaram o presidente Jair Bolsonaro e representantes de associações empresariais brasileiras, Luiz Mandetta disse que o governo federal espera inclusive mudar ou adaptar a “vocação” de determinadas empresas para atender a esperada alta demanda no setor de saúde.

“Colapso em abril”

Segundo Luiz Mandetta, o sistema de saúde brasileiro pode entrar em colapso em abril em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

“No final de abril sistema entra em colapso. O colapso é quando você pode ter o dinheiro, o plano de saúde, a ordem judicial, mas não há o sistema para entrar”, afirmou o ministro.

A estimativa do Ministério da Saúde é que haja um crescimento dos casos do Covid-19 nos próximos 10 dias, uma subida mais aguda em abril, permanecendo alta em maio e junho. A partir de julho é a expectativa de início da desaceleração. Em julho começa um plateau (estabilidade) e em agosto um movimento de queda.

Mas a intensidade depende das medidas adotadas e do comportamento das pessoas, destacou Mandetta. Neste sentido, o ministro reiterou a importância da redução de circulação e iniciativas de isolamento. “Para evitar esse colapso eventualmente pode ser necessário segurar a movimentação para ver se consegue diminuir a transmissão. Quando tomamos medida de segurar 14 dias, o impacto só é sentido 28 dias depois. A cadeia é sustentada e você quebra”, comentou Mandetta.

Isolamento

Ontem (19) o Ministério divulgou novo protocolo para os postos de saúde. Nos locais com transmissão comunitária (São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco, Porto Alegre, Belo Horizonte e Santa Catarina) pessoas com sintomas do novo coronavírus terão um atendimento agilizado, serão colocadas em isolamento por 14 dias assim como familiares e todos os idosos acima de 60 anos.

Nos locais sem transmissão comunitária, pessoas com sintoma de Covid-19 devem buscar os postos de saúde e ficar em isolamento, com monitoramento a cada 48 horas. Caso mais graves serão encaminhados para atendimento hospitalar. (Com Agência Brasil)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCada qual com o seu capacete
Próximo artigoSem feiras nos bairros