Ministro cita Mato Grosso como a esperança para o turismo nacional

Ministério do Turismo reconheceu Cuiabá como capital do ecoturismo

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Citando uma “vocação natural” de Mato Grosso, o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, anunciou a liberação de R$ 300 milhões para o Estado projetar ações que irão alavancar o setor, que serão financiados pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Caixa Econômica Federal. O anúncio foi feito durante o lançamento de três obras para revitalização do porto de Cuiabá.

“Nós acreditamos no potencial de Mato Grosso. O Brasil deve deixar de limitar a ser um turismo de sol e mar para ser um turismo ecológico, um turismo de meio ambiente. Essa é nossa grande vocação na qual vamos servir aos brasileiros e ao mundo. É uma posição nossa mundial que está ganhando espaço, que é o ecoturismo”, observou o ministro, em Cuiabá.

No ato, o Ministério liberou R$ 41,2 milhões para serem investidos, a fundo perdido, na infraestrutura turística do Estado. Teté Bezerra, presidente da Embratur, observou que Cuiabá é a porta de entrada de Mato Grosso e do Pantanal, mas afirmou que o montante será distribuído para outras cidades do interior. “Cidade boa para seu visitante é aquela que é boa para o seu cidadão”, disse Teté.

O montante vai ser liberado para Mato Grosso por meio do Programa Prodetur + Turismo, que utiliza uma linha de crédito especial do BNDES, que terá o montante de R$ 5 bilhões. “O Brasil precisa investir. Nós não vamos conseguir grandes transformações se não houver investimentos. O mundo inteiro espera muito mais do Brasil do que nós imaginamos. Há muita esperança depositada em nós e isso aumenta muito mais nossa responsabilidade”, ponderou.

O ministro observou que Cuiabá é a capital dos recursos naturais e tem potencial para ser referência mundial no assunto. Por isso, precisa de investimentos. “Eu vejo Mato Grosso como um futuro, como um Brasil novo, de esperanças, mas que precisa de ferramentas. Por isso eu fico muito feliz em estar aqui e ver esse orgulho da cuiabania”, disse Lummertz

Do montante liberado, R$ 17 milhões foram destinados a Cuiabá, que usará os recursos para a requalificação do porto com três obras: a construção da segunda parte da Orla, a reforma do Cais do Porto e a ampliação do Mercado do Porto. Juntas, as três obras terão custo de R$ 28 milhões, que serão completados com recursos da Prefeitura.

Leia mais

Revitalização do Mercado do Porto em Cuiabá custará R$ 14,1 milhões

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS