Literatura: um chamado para a superação, com ficção e uma boa dose de realismo

A Voz dos Sinos, novo romance do jornalista Rui Matos, mescla ficção com veracidade

A Voz dos Sinos, novo romance do jornalista Rui Matos, desnuda uma realidade de medos, desafios e superação. Junto ao primeiro livro, No Mar de Água Doce, a saga campestre conta o drama de três gerações de uma família em conflito.

No enredo, crise de relacionamento, busca para vencer as diferenças, conflitos, além da tão sonhada resiliência no período entre o auge
da Era Vargas em 1930 e o estopim do Golpe Militar de 1964. Um tapete literário que começa no majestoso cenário pantaneiro de Mato Grosso e chega à bucólica São João Del-Rey, Minas Gerais.

Um mergulho entre ficção e realidade tendo como pano de fundo as angústias humanas. “Descobrir a literatura como rota de fuga me salvou da depressão profunda”, conta o autor, que é natural de Rondonópolis (MT) e mora em Cuiabá desde 1986.

Com especialização em Marketing e Filosofia, os quase 30 anos de
experiência no Jornalismo foram motivação para contar histórias de forma mais lúdica. O impulso foi a busca pela cura de uma depressão que já produzia sintomas psicossomáticos.

Para compor o cenário nos dois livros, o autor criou personagens que traduzem tanto o ambiente pantaneiro, quanto o horizonte barroco mineiro

“Nas muitas noites de insônia e desejos de morte, decidi ligar o computador e começar o roteiro de apenas um livro e que, mais adiante, se tornou uma trilogia. Em vez de ficar sofrendo com as dores da alma e do corpo, transferi todos os sentidos aos personagens”, revela.

No entanto, Rui Matos não criou personagens baseado em si mesmo. Muito menos, traduziu suas próprias fraquezas.

“Assim como eu sofria, via tantos amigos e familiares se definhando com a depressão. Identifiquei um problema comum a tantas pessoas próximas. A partir daí, criei personagens e fui desenhando uma realidade coletiva que fica mais evidente no personagem Julian, de A Voz dos Sinos. No Mar de Água Doce é o berço das situações que antecedem o desenrolar de A Voz dos Sinos e que faz o menino Julian criar o seu mundo particular. Para ele tudo é perfeito aos seus olhos, ainda assim sem perder de vista a angústia que o aflige. Julian descortina o mundo real bisbilhotando por buracos de fechaduras e frestas de janelas”.

Daí por diante, a narrativa se envolve em cenas sensuais, enigmas, mortes e um envolvimento emocional com o linguajar, sabores, cores e aromas do Pantanal e das serras mineiras. Nesse contexto, o autor se valeu da experiência profissional junto ao universo pantaneiro, além das memórias de infância nas muitas viagens de férias ao Triângulo Mineiro.

Romances já coleciona prêmios

A certeza de que o escritor estava no caminho certo veio com a premiação das duas obras no Edital ‘Estevão de Mendonça de Literatura Mato-grossense’ em 2015 e 2020, respectivamente. Prêmios que se juntaram a outros conquistados: Finalista do 10º Prêmio Ayrton Senna de Jornalismo (2010), e vencedor do Jornalistas & Cia – HSBC (2010), Prêmio Sebrae de Jornalismo em 2013 e 2015, por essa ordem.

Escritos Rui Matos recebendo o premio de literatura em 2015. Foto: (Divulgação/Assessoria)

Pandemia

Por causa da proliferação do novo coronavírus, o autor decidiu não realizar lançamento físico do segundo livro, bem como a segunda edição do primeiro.

Optou pela divulgação dos e-books pelas redes sociais e pela Imprensa.

E-book

Mesmo vendo o mercado literário se recuperando diante da pandemia da covid-19, o autor optou por divulgar as obras apenas no formato e-book.

Segundo o relatório “Painel do Varejo de Livros” (Nielsen), realizado pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), houve um crescimento de 38,38% na venda de exemplares e de 28,46% em faturamento global em março de 2021. O resultado positivo é um comparativo com dados do mesmo mês em 2020, quando a pandemia começou no Brasil.

Em números absolutos, os estabelecimentos monitorados pela Nielsen registraram a venda de 3,9 milhões de exemplares, o que resulta no faturamento de R$ 165 milhões.

Fora isso, tem o lado social do autor que decidiu disponibilizar as duas obras na plataforma Amazon para leitura gratuita em língua portuguesa por certo período a partir de julho.

Apenas o e- book No Mar de Água Doce em língua inglesa será comercializado por preço popular. “Em língua inglesa vamos buscar um caminho novo aos autores que não são assistidos por grandes editoras. Nossos editores precisam apostar mais em títulos brasileiros traduzidos para o inglês e, principalmente, o
espanhol”, aposta.

Serviço:

Até que os e-books estejam disponíveis gratuitamente no amazon.com.br, a partir de julho, no Instagram já pode-se ler trechos das duas obras de Rui Matos: @rui.matos.escritor.

(Com informações da Assessoria)

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCovid: diário da vacina #16
Próximo artigoCenso previdenciário