Imagens desmentem Dr. Bumbum e mostram que bancária deixou prédio carregada

Médico disse em coletiva que cuiabana saiu do prédio bem, sem dores e com taxista esperando na porta

Foto: Reprodução/Divulgação TV Globo

Imagens divulgadas pelo Jornal Nacional, da Rede Globo, nessa quinta-feira (25), desmentem a versão do médico Denis Furtado, de 45 anos, conhecido como Doutor Bumbum, de que a bancária cuiabana Lilian Calixto, de 46 anos, que morreu no dia 15 de julho após um procedimento estético realizado no Rio de Janeiro, teria deixado o “consultório” bem e sem complicações.

Lilian Calixto saiu de Cuiabá no dia 13, uma sexta-feira, para se submeter a aplicação de polimetil-metacrilato (PMMA), com o objetivo de aumentar o bumbum. Inicialmente, o procedimento estava agendado para ser feito em Brasília (DF), mas mudou para o Rio de Janeiro em cima da hora. Lá, ao invés de ser feita em uma clínica, conforme havia prometido o Doutor Bumbum, a aplicação aconteceu na cobertura de um prédio na Barra da Tijuca, já na tarde de sábado (14). Lilian morreu horas depois.

Leia também
Presa há quase 10 dias, namorada do Dr. Bumbum tem pedido de liberdade negado
Laudo da morte de paciente operada pelo “Doutor Bumbum” é inconclusivo

Nas imagens obtidas pelo Jornal Nacional, é possível ver Lilian no elevador do prédio onde o procedimento foi feito. Ela estava sendo amparada pela namorada do médico, a secretária Renata Fernandes, de 19 anos, que foi presa no dia 17, e pela técnica de enfermagem Rosilane Pereira da Silva. No elevador ainda estavam o médico, Doutor Bumbum, sua mãe, a médica Maria de Fátima Furtado, e uma sexta pessoa, que já foi identificada e chamada para prestar esclarecimento.

O vídeo, coletado do circuito interno do elevador do prédio, desmente Denis Furtado, que em coletiva de imprensa no dia 19 de julho, quando foi preso, disse que Lilian Calixto não apresentou complicações no momento em que deixou o consultório.

[featured_paragraph]Ele disse: “Ela levantou bem, saiu bem da maca. Tinha uma escada, ela saiu da escada. Até umas 22 horas, mais ou menos umas 23h ela estava indo embora para o hotel dela, já com o taxista esperando ela na porta. E ela me relatou um leve enjoo e uma queda de pressão. Eu perguntei como ela estava e absolutamente nada. Ela estava totalmente estável”.[/featured_paragraph]

Após a exposição do caso de Lilian Calixto, dezenas de pacientes apareceram na 16ª Delegacia de Polícia do Rio, que investiga o caso, para prestar depoimento. Relatos de descasos foram comuns. No Distrito Federal, uma das clientes divulgou conversas no WhatsApp nas quais o médico recomenda que ela feche um dos ferimentos com tesoura quente.

Doutor Bumbum e a mãe foram presos no dia 19 de julho, depois que uma denúncia anônima apontou onde estavam escondidos. Eles estavam foragidos desde o início da semana, quando o caso ganhou luz. Desde então, já entraram com pedidos de liberdade na Justiça do Rio, mas nenhum foi acatado. Eles permanecem presos no Complexo de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio.

Confira aqui a reportagem do Jornal Nacional.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPantanal Shopping sorteia carro para o Dia dos Pais
Próximo artigoMP denuncia manifestantes que atearam fogo em abrigo de venezuelanos