Idosa espera um ano por exame no SUS, ganha ação na Justiça e continua sem atendimento

A mulher precisa saber se o câncer na tireoide já se espalhou para outros órgãos. Só assim poderá fazer tratamento adequado

Foto: Pixabay/Livre reprodução

Após um ano de espera no Sistema Único de Saúde (SUS), uma idosa de 61 anos resolveu recorrer à Defensoria Pública de Mato Grosso. Ela tem câncer na tireoide e precisa de um exame para saber se o tumor já se espalhou para outros órgão.

Mas ter conseguido uma decisão judicial obrigando a Prefeitura de Nova Xavantina (650 km de Cuiabá) e o Governo de Mato Grosso a prestar a assistência médica não foi suficiente. A liminar foi expedida há 30 dias e a paciente ainda não foi atendida.

Defensor público responsável pelo caso, Tiago Passos diz que o pedido pelo exame – uma  cintilografia para pesquisa de corpo inteiro (PCI) – foi feito em 16 de dezembro de 2019.

“Ela nos procurou em fevereiro deste ano, muito abalada psicológica e fisicamente. Entramos com a ação solicitando o exame no dia 8 de fevereiro. No dia 11, o juiz garantiu a liminar e deu prazo de 15 dias para o Estado viabilizar o exame e o Município, o transporte. Até o momento, no entanto, nada foi providenciado”, ele conta.

A decisão judicial foi dada pelo juiz José Luiz Lindote, da Vara de Fazenda Pública de Várzea Grande – a única em Mato Grosso que trata de casos relacionados à saúde pública. Como o exame não foi feito, o defensor público Marcelo Leirião – que atua na mesma Vara – vai informar o descumprimento da liminar.

Antes de mover a ação, Tiago Passos chegou a enviar ofício para a Secretaria de Saúde de Nova Xavantina, solicitando informações sobre o caso. A resposta veio com a explicação de que a responsabilidade por esse tipo de exame é do Estado. Já a Secretaria de Estado de Saúde simplesmente não respondeu ao ofício do defensor.

O governo se manifestou somente após a decisão, quando o juiz Lindote deu prazo de 30 dias para que a medida fosse contestada.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“Lula está em plena campanha política”, afirma Bolsonaro
Próximo artigoDinheiro novo, mas antigo