Home office: saiba como ser produtivo trabalhando em casa

Ele chegou de supetão e você não se adaptou? A regra é organizar e definir limites

Presentes na maioria dos avisos pregados na fachada de empresas que tiveram que fechar as portas para evitar a propagação do coronavírus, as palavras home office e teletrabalho invadiram a vida dos profissionais de uma hora para outra.

Um sistema que representará uma quebra de paradigmas dentro do mercado de trabalho brasileiro e internacional, impactado pelas quarentenas e limitações do convívio social.

Atualmente, muitas empresas multinacionais já usam esta modalidade de gestão, porém, em território tupiniquim, ela ainda é incomum e se confunde com descanso e baixa produtividade.

Um conceito que precisa mudar, tendo em vista que se adaptar ao sistema significa manter o emprego e ainda estar preparado para o futuro, já que a redução de custos pode inspirar os empregadores a manter algumas atividades em home office, mesmo após o fim da pandemia.

Mas, como posso ser produtivo trabalhando em casa?

Essa pergunta que a coach de executivos e times e palestrante Lorena Lacerda se propõe a responder.

Desde que as empresas tiveram que adotar medidas para que os empregados continuem atuando em casa, a profissional tem sido muito requisitada. Ela explica que todas as estratégias e métodos precisam ser revistos para se alcançar o sucesso.

E, para ajudar os leitores do LIVRE, ela elencou os principais fatores que devem receber atenção de funcionários e empregadores ao aderir a modalidade.

O que cabe à empresa?

Empresa precisar se certificar de que o funcionário tem os equipamentos para executar o trabalho. (Imagem: Freepik)

Os empregadores devem se certificar que todos integrantes da equipe possuem as ferramentas necessárias para executar o trabalho (computador, internet e demais canais de comunicação) e repensar os processos, de maneira que fiquem claras as contribuições de cada integrante do grupo.

Como as ações serão individualizadas, é preciso entender a melhor forma de dividi-las dentro da competência de cada um.

Também é importante criar um método de controle das entregas e estabelecer mecanismos de compensação para manter a motivação.

Líderes e liderados

Reuniões contantes são essenciais para avaliação e definição de prioridades. (Foto: Freepik)

A distância requer dos líderes uma maior habilidade na comunicação interpessoal, bem como clareza na hora de atribuir tarefas e cobrar resultados. Aliado a isso, está a atenção e domínio das ferramentas e regularidade dos encontros e reuniões virtuais.

Conforme a coach, o indicado é usar programas que permitam que as atividades tenham sua execução e data prevista para realização disponíveis de forma simultânea entre todos.

Já os liderados devem estar focados na sua parte do trabalho e também participar das reuniões e manter uma comunicação durante o dia com o líder.

Lorena Lacerda defende que torna-se essencial pelo menos dois encontros. Um no começo do expediente, para definir as atribuições do dia, e outro no final, para avaliação e entrega de resultados.

Estar conectado com o responsável pelo setor também trará a real percepção de quanto e como o serviço apresentado está atendendo a necessidade da empresa.

Principais distrações em casa

Em primeiro lugar estão as redes sociais. É normal que todos queiram ficar mais ligados por conta das notícias sobre o avanço da pandemia, no entanto, este acompanhamento rouba tempo e energia, já que os canais estão repletos de fakenews e notícias prá lá de preocupantes.

Então, o ideal é se distanciar, focar no trabalho e também conversar com os familiares para eles saberem que, naquele horário, os barulhos, chamados desnecessários e demais obstruções devem ser suspensos.

Família, televisão e vizinhos não podem interromper as atividades diárias.

Redes sociais podem ser uma perigosa distração e atrapalhar a produtividade (Foto: Pixabay)

Organizando o espaço

Inicialmente, o ideal é que tenha mesa e cadeira. Porém, é preciso organizar o espaço, mesmo que pequeno, para ser o escritório doméstico.

Ajustar também a rotina e continuar a ter alguns hábitos como se trocar de manhã ajudam.

A especialista adverte que trabalhar de pijama ou deitado na cama pode tornar o dia improdutivo, sem considerar que, se o trabalhador foi chamado para um videochamada, terá que recusar pelo fato de não estar composto adequadamente.

Interação entre os funcionários

Nesse ponto, a coach propõe um happy hour virtual, onde todos ficam em casa e fazem uma reunião de bate-papo. Cada qual com a sua bebida.

A atividade pode estreitar laços e ainda minimizar a falta de intimidade causada pela distância entre os colaboradores.

Como é o modelo ideal

Lorena Lacerda defende que o modelo ideal é uma mistura entre o modelo home office e o presencial.

Quando adotado, pode favorecer os dois lados. O empregado, porque ganha o tempo gasto no deslocamento de casa para o trabalho e mais qualidade de vida, e o empregador, porque reduz os custos fixos do escritório.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDeputados e médicos, eles acreditam que o isolamento social é a principal medida preventiva
Próximo artigoJustiça derruba bloqueio total de comércio em Rondonópolis