Flagrantes e denúncias: saiba como está o combate à boca de urna em MT

Entre os registros estão a distribuição de santinhos pessoalmente e via Whatsapp, bem como o corpo a corpo na fila de votação

Imagem ilustrativa (Foto: Fernanda Zanetti)

Os mato-grossenses abandonam a quarentena e vão às urnas neste domingo (15) para escolher para prefeitos, vereadores e um senador. Mas, como em toda eleição, há um crime a ser combatido: a boca de urna.

Durante toda a semana as Polícias Militar, Civil e Federal estão promovendo ações para combater os crimes eleitorais e neste domingo o trabalho está ainda mais intensificado.

Confira alguns dos casos que foram registrados nesta manhã:

Guarantã do Norte

Por volta de 7h20 a Polícia Civil de Guarantã do Norte (700 km de Cuiabá) recebeu a denúncia de que um homem estaria encaminhando propaganda eleitoral do candidato a vereador “Dr. Fábio da Farmácia” em um grupo de WhatsApp da cidade de Novo Mundo (740 km de Cuiabá).

A polícia tentou contato com o suspeito pelo telefone indicado na denúncia e também tentou localizá-lo, porém, não teve sucesso.

O caso, então, apenas foi registrado como “divulgação no dia da eleição de propaganda de boca de urna, ou arregimentação de eleitor”.

Confresa

Já em Confresa (1060 km de Cuiabá), por volta das 8 horas, a Polícia Civil prendeu um jovem de 27 anos que estava pedindo votos para o candidato a prefeito Ronio Condão e para a candidata a vereadora Janet Bang.

O homem foi encontrado próximo a um colégio e confessou que estava trabalhando para a candidata a vereadora. Aos policiais, ele afirmou ter sido orientada pela candidata a ficar no local pedindo votos a pessoas que não tivessem em quem votar.

A orientação era que ele desse o santinho com o número dela aos eleitores. O suspeito, no entanto, disse não ter recebido nada pelo trabalho.

Peixoto de Azevedo

Em Peixoto de Azevedo (670 km de Cuiabá) um cadeirante de 56 anos foi preso pela Polícia Militar por volta das 8h15, no Bairro Mãe de Deus, divulgando santinhos do candidato a vereador Adriano da Pax.

Ele foi encaminhado para a delegacia, onde o caso foi registrado como “divulgação no dia da eleição de propaganda de boca de urna, ou arregimentação de eleitor”.

Campinápolis

Em Campinápolis (720 km de Cuiabá) um homem de 57 anos foi preso na MT-110 por estar transportando indígenas para votar.

A Polícia Militar estava em rondas próximo ao cemitério da MT-110 quando viu uma camionete transportando indígenas no compartimento de carga do veículo.

O motorista foi parado e, ao ser questionado, disse que estava levando os indígenas para Novo são Joaquim (490 km de Cuiabá) para votar.

Ele, o veículo, o sobrinho que também estava no carro e os indígenas, da Aldeia Palmeiras, foram encaminhados para a delegacia.

O suspeito disse aos policiais que havia recebido R$ 500 pelo transporte dos indígenas. O caso foi registrado como “promover, no dia da eleição, fraudar ao exercício do voto, fornecimento gratuito de alimento e transporte coletivo”.

São José do Xingu

Em São José do Xingu (950 km de Cuiabá) a advogada da coligação “Juntos pelo Xingú” denunciou a candidata a vereadora Irmã Geralda por ter pedido votos em um grupo de WhatsApp para ela e para o candidato a prefeito Sandro Costa neste domingo (15), quando já não é mais permitido fazer campanha.

Santa Carmem

Em Sinop (505 km de Cuiabá) um homem de 46 anos foi preso realizando boca de urna para o candidato a vereador Jaime Kappes.

A Polícia Militar chegou ao suspeito após denúncias de que ele estava coagindo pessoas a votarem no candidato Jaime ao lado da Escola Municipal Selvin Damian, no centro da cidade.

Uma equipe foi ao local e o encontrou com cerca de 62 santinhos. Ele entregou seu celular voluntariamente e os militares encontraram áudios do suspeito conversando com o candidato e dizendo já ter conseguido alguns votos durante a manhã deste domingo (15).

Em uma mensagem ele dizia: “Pode ficar sossegado que eu sou liso e ninguém vai me pegar não”, o candidato respondia que sabia que ele era macaco velho, mas era para tomar cuidado, e o suspeito respondia: “Pode deixar que aqui é sobra criada e você vai ver como se ganha mais votos”.

O acusado foi encaminhado para o Núcleo da Polícia Militar, onde o caso foi registrado como “divulgação no dia da eleição de propaganda de boca de urna, ou arregimentação de eleitor”.

Nortelândia

Em Nortelândia o candidato a prefeito Mariano Gomes Miranda (DEM) foi preso, por volta das 9 horas, por estar em uma sessão eleitoral (220 km de Cuiabá) diferente da que é seu local de votação, o que é considerado arregimentação ilegal de eleitores.

O candidato estava na Escola Estadual Professora Idalina de Farias, no centro da cidade.

A Polícia Militar fez a condução do candidato até a delegacia da Polícia Civil de Arenápolis.

Barra do Garças

Em Barra do Garças (520 km de Cuiabá), a candidata a vereadora Nelcy Chapadence foi detida ao ser flagrada entregando santinhos e adesivos a eleitores que passavam próximo à Escola Irmã Diva Pimentel, no Bairro Santo Antônio.

A Polícia Militar recebeu um vídeo da candidata realizando a ação, foi até o local indicado na denúncia e encontrou a suspeita ainda presente e com o material de campanha, que foi apreendido.

Primavera do Leste

Em Primavera do Leste (240 km de Cuiabá) o vereador e candidato a reeleição Luis Costa foi denunciado pela Justiça Eleitoral por fazer propaganda no Facebook neste domingo (15).

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAcompanhe a votação dos candidatos a prefeito em Cuiabá
Próximo artigoAcompanhe a votação dos candidatos ao Senado em Mato Grosso