Festival de Choro reúne três grupos de MT em releituras de clássicos

Orquestra Cuiabana de Choro, Núcleo de Choro da Polícia Militar de Mato Grosso e Grupo 4 Tons se apresentam neste domingo (22), no Teatro Zulmira Canavarros; a entrada é 1 kg de alimento

Representante da música popular e instrumental no Brasil, o Choro é celebrado nesta segunda-feira (23). E é pensando na ocasião que a Orquestra Cuiabana de Choro, o Núcleo de Choro da Polícia Militar de Mato Grosso e o Grupo 4 Tons adiantam as comemorações e promovem, juntos, um Festival de Choro no Teatro Zulmira Canavarros.

As apresentações dos grupos acontecem neste domingo (22), às 19h30, com entrada a 1kg de alimento, revertidos às entidades filantrópicas atendidas pela Sala da Mulher. A troca de ingressos é diretamente antes do espetáculo, a partir de 18h30.

No repertório, releituras de clássicos do gênero musical e de artistas que construíram a história do Choro, como Jacob do Bandolim, Pixinguinha e Chiquinha Gonzaga. Para quem gosta de bandolim, flauta, cavaquinho, pandeiro, violão de 7 cordas, violão, trombone, saxofone, entre outros instrumentos bem harmonizados para a execução do gênero, será difícil ficar parado.

Segundo a assessoria, composições autorais dos grupos envolvidos também marcam presença, como antecipa um dos organizadores, Raul Fortes. O músico também ressaltou a importância do gênero originalmente carioca para a MPB, que abriu espaço na cultura brasileira no final do século 19.

“O choro é criação dos brasileiros, que buscaram referências nas produções europeias e aqui na nossa terra, fizeram fusões, aceleraram o ritmo e produziram esta riqueza tão nossa”, conta Raul.

Andrew Moraes, maestro da Orquestra Cuiabana de Choro e do Núcleo de Choro da PMMT, também destaca a reunião para essa apresentação. “Todos nós temos uma base no choro, mas queremos explorar os arranjos dos colegas, ouvir novos timbres, novas ideias e ampliar o conhecimento e o amor ao Choro, e principalmente, levar essa linguagem musical para todos!”, exclama.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHistória dos Tapayuna será contada em evento da Justiça Federal de MT
Próximo artigoMesmo com liminar contrária, Sintep decide manter greve