Exportações de carne mato-grossense para a China crescem 8,5%

O crescimento é resultado do surto de Peste Suína Africana (PSA) que atinge o país asiático

Foto: Divulgação/Abiec

As exportações mato-grossense de carne bovina para a China aumentaram 8,5% no primeiro semestre deste ano. O crescimento é resultado do surto de Peste Suína Africana (PSA) que atinge o país asiático que foi forçado a sacrificar mais de 4,1 milhões de animais e soma prejuízos que ultrapassam um bilhão de dólares.

O aumento foi tamanho que representa o maior volume enviado durante o primeiro semestre de um ano e já soma 26,1% de toda exportação estadual.

O asiático tem demandado produtos cárneos de outros países, a fim de abastecer seu mercado interno. Por isso, nos primeiros sete meses deste ano, foram enviados 57,3 mil toneladas em Equivalente Carcaça para o complexo: China Hong Kong e Macau.

Diante disso, o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) avalia que a Peste Suína Africana na China “tem beneficiado não somente a suinocultura brasileira, mas também o mercado de carne bovina, mesmo que em menor intensidade”.

Oportunidade de negócios

O Ministério da Agricultura tem pleiteado com o Governo chinês um aumento no número de frigoríficos habilitados para exportação para o país. Caso isso se concretize e os frigoríficos mato-grossenses sejam aprovados, as embarcações tendem a se fortalecerem ainda mais, principalmente neste momento de demanda externa aquecida.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBNDES divulga lista de 134 compradores de aviões da Embraer; confira
Próximo artigoHomem confunde mãe e filha com casal homossexual, xinga as duas e diz que merecem morrer

O LIVRE ADS