Eleições 2020: número de atentados contra candidatos foi quase seis vezes maior

Em 2018 e 2016, Tribunal Superior Eleitoral registrou 46 vítimas. Neste ano, foram 263

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

As eleições de 2020 foram quase seis vezes mais perigosas que as duas anteriores – 2016 e 2018 – para quem resolveu disputar um cargo. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) registrou 263 casos de lesão corporal, tentativa e até consumação de assassinato contra candidatos.

Os dados foram divulgados pela Agência Senado, que destacou o fato de que 200 dessas ocorrência foram registadas somente no último mês.

Outro dado relevante é que 83% dos casos ocorreu em cidades pequenas, com menos de 200 mil eleitores.

Nas eleições de 2016 (municipais) e 2018 (gerais), segundo o Tribunal, foram somente 46 vítimas em todo o país.

Presidente do TSE, o ministro Luís Roberto Barroso afirmou que as mulheres foram as principais vítimas.

“A violência é incompatível com a democracia. E há uma violência que merece destaque: a violência de gênero, os ataques físicos ou morais às mulheres que são candidatas. Esse tipo de agressão é pior que machismo, é covardia. Nós precisamos de mais mulheres na política e precisamos enfrentar essa cultura do atraso, da discriminação”.

Um desses episódios ocorreu em Lucas do Rio Verde (280 km de Cuiabá). Uma candidata a vereadora foi ameaçada e agredida por dois homens em uma moto, quando estava indo para o trabalho.

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPara justificar ausência no domingo, eleitor deve baixar e-Título hoje
Próximo artigoDeputados votam na quarta liberação de recurso para vacina de Oxford