Durante congresso em MT, MBL lança Flavio Rocha à presidência

Divulgação

Congreso MBL em Mato Grosso

Flavio Rocha, no centro, foi lançado pelo MBL à presidência da República

Em congresso realizado na capital mato-grossense, as principais lideranças do Movimento Brasil Livre (MBL) lançaram o empresário e CEO das lojas Riachuelo, Flávio Rocha, à presidência da República. Mesmo defendendo pautas semehantes à do grupo, como a redução do tamanho do estado e a reforma política, Rocha despistou sobre o tema. 

“Não tem Geraldo Alckmin (pré-candidato do PSDB), nem (Jair) Bolsonaro (pré-candidato ainda sem definição partidária). O cara que tem que sair para presidente é o Flávio Rocha”, disse Renan dos Santos, coordenador do MBL nacional, em almoço que precedeu o congresso estadual da sigla. 

Os apelos vieram de outras lideranças, como Arthur Duval, do canal de YouTube Mamãe Falei. “Esse cara tem que ser presidente do Brasil”, disse, durante palestra realizada na tarde deste domingo (25), no auditório da Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato). No local, havia aproximadamente 300 espectadores que aplaudiram a ideia de Rocha sair candidato. 

Em conversa com o LIVRE, no entanto, ele despistou a respeito do tema. “Os empresários têm sim que tomar mais posições na política”, disse. Ele, no entanto, se esquivou de responder sim ou não para a pergunta. Atualmente, ele não tem nenhuma filiação partidária. 

Bolsonaro é um “gatinho na pele de leão”, afirma Renan Santos, do MBL

Já em sua palestra, Rocha afirmou que tomou contato com o grupo há pouco mais de um ano, logo após dar uma entrevista para o jornal O Estado de S. Paulo na qual defendia o impeachment da então presidente Dilma Rousseff (PT). “No dia seguinte, o Renan me procurou. Daí eu passei de ser conhecido como o ‘Flávio da Riachuelo’ para o ‘tiozinho do MBL'”, brincou. 

Esse foi o primeiro congresso estadual do MBL em Mato Grosso e contou com a presença de lideranças políticas locais, como o vice-governador Carlos Fávaro (PSD) e o senador José Medeiros (Pode). Também estava presente o ex-catador de lixo e atual empresário Geraldo Rufino. Ele começou a vida em uma favela de São Paulo e hoje fatura mais de R$ 50 milhões por ano com as suas empresas. “Estou tentando convencer o Flávio. Tem horas que tenho vontade de tacar ele da janela do avião dele para a candidatura”, disse, no evento. 

Bolsonaro 

No almoço que precedeu o evento, realizado no buffet Leila Malouf, Renan dos Santos criticou as posturas do pré-candidato à presidência Jair Bolsonaro. Segundo o coordenador do MBL, Bolsonaro é um “gatinho na pele de leão”. “Ele não encara nenhuma briga de verdade. Só briga com mulher e bate boca com os gays. Briga política você não vê ele em nenhuma”, disse. Ele citou as reformas trabalhista e da previdência como exemplos de pautas que o grupo defendeu, mas que Bolsonaro se recusou a levantar as bandeiras. Imitando a voz do deputado, Renan fez piadas dele: “Reforma? Não, não. Vai me deixar mal com os eleitores”, brincou. 

Divulgação

Congreso MBL em Mato Grosso

Flavio, durante palestra. Ele disse que passou do “Flavio da Riachuelo” para o “tiozinho do MBL”

 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorIgrejas cristãs fecham Santo Sepulcro em protesto contra impostos
Próximo artigoAcusados de racha que resultou em atropelamento, motoristas responderão em liberdade