Decisão de Fachin passará pelo pleno do STF e Lula pode voltar a ficar inelegível

De acordo com o ministro Marco Aurélio Mello, a decisão que devolveu os direitos políticos a Lula pode ser revista em plenário

Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello disse considerar que Edson Fachin errou ao anular todos os atos processuais da Justiça Federal em Curitiba nas ações contra o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Para Mello, a tendência é que a decisão seja revista em plenário.

Em entrevista à coluna da Revista Época, o ministro afirmou que a ministra Cármen Lúcia não deve mudar seu voto e que Nunes Marques é obrigado pelo regimento a devolver o caso da suspeição de Moro à Segunda Turma.

Mello ainda afirmou que ficou perplexo com a decisão do ministro Fachin. O decano  lembrou que os processos contra Lula não foram julgados apenas pelo ex-juiz Sérgio Moro, mas passaram pelas três instâncias do Judiciário.

“Estou perplexo diante da decisão do ministro Edson Fachin de anular os processos-crime depois de os processos terem percorrido todas instâncias do Judiciário”, disse o ministro.

Caso o ministro esteja correto e a decisão de Fachin seja suspensa em plenário, Lula voltaria a ficar inelegível e estaria fora da corrida presidencial em 2022.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAcidentes frequentes: moradores cobram lombada em frente a escola em Cuiabá
Próximo artigoGoverno de MT abre R$ 55 milhões em crédito para bares, restaurantes e evento