Com mais uma condenação, Sérgio Cabral soma 216 anos de prisão

Ex-governador do Rio de Janeiro recebeu a 10ª condenação nesta terça-feira

O ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, foi condenado nesta terça-feira (30) pelo juiz Marcelo Bretas, titular da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, a uma pena de 18 anos de prisão.

Cabral foi acusado de firmar contratos possivelmente fraudados com empresas de fornecimento de alimentação para escolas da rede estadual de educação e para os detentos do sistema penitenciário carioca.

Esta foi a 10ª condenação do ex-governador na primeira instância e as penas somadas chegam a 216 anos e 6 meses de reclusão.

A Operação Ratatouille, que investigou as fraudes, é um dos desdobramentos da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro. De acordo com a denúncia, oferecida Ministério Público Federal (MPF), Cabral teria liderado uma organização criminosa que recebeu propina de R$ 16,7 milhões das empresas contratadas.

De acordo com a acusação, os recursos foram pagos pelas empresas Masan e Milano. Ambas propriedade do empresário Marco Antônio de Luca, que recebeu uma pena de 32 anos de prisão.

Outro acusado de participação no esquema, Luiz Carlos Bezerra, foi condenado na mesma ação a 5 anos e 6 meses de reclusão.

“As circunstâncias em que se deram as práticas corruptas, além das altas cifras envolvidas, por vezes, são perturbadoras e revelam desprezo pelas instituições públicas”, escreveu Bretas em sua decisão.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS