Campanha em MT sensibiliza motoristas: 15 animais morrem nas estradas brasileiras a cada segundo

Atropelamentos estão entre as principais causas de mortalidade de animais silvestres no país

(Fotos: Assessoria de Comunicação da UEMS)

A cada segundo, 15 animais morrem atropelados nas estradas brasileiras. Por dia, o número de mortes pode chegar a 1,3 milhão, o que, no decorrer de um ano, soma 470 milhões de animais.

Os números são do projeto Bichos do Pantanal que, embasado neles, resolveu fazer uma campanha em Mato Grosso: “Direção legal: Respeite a fauna”.

A ação alerta para o grande número de atropelamentos e é desenvolvida em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Será entre os dias 27 e 30 de janeiro, com concentração no posto da PRF de Cáceres, que fica no km 741 da BR-070, nos períodos da manhã e tarde.

Com o apoio de voluntários e policiais a equipe do Bichos do Pantanal vai interagir com os motoristas, exibindo as estatísticas e, principalmente, falando sobre direção defensiva e alternativas de travessias para os animais que podem ser viabilizadas pelo poder público.

Coordenador da equipe de Educação Ambiental do Projeto Bichos do Pantanal, Mahal Massavi é professor da Unemat.

De acordo com o pesquisador, a maioria dos animais vítimas de atropelamentos são de pequeno porte, mas os de médio e grande porte – como as onças-pintadas, por exemplo – também estão entre os números do levantamento.

“Além do problema ambiental, atropelamentos de animais podem provocar acidentes, colocando em risco os ocupantes dos carros envolvidos e até mesmo de outros veículos que podem estar transitando no momento”.

“Nem todos sabem a gravidade deste problema para nossa biodiversidade”, lamenta o professor (Foto: IPÊ/INCAB/Projeto Tatu-Canastra)

Passagens de fauna são alternativa

Segundo o ecólogo Douglas Trent, chefe de pesquisas do Projeto Bichos do Pantanal, as soluções para o problema do atropelamento de fauna devem extrapolar as ações de conscientização.

“Ações como esta são muito importantes, pois sensibilizam a população acerca do problema. Mas a solução efetiva, segundo diversas pesquisas realizadas no Brasil e em outros países, é a construção das chamadas ‘passagens de fauna’, localizadas em locais estratégicos, definidos com base em levantamentos técnicos-científicos”, explica.

Essas passagens são estruturas como túneis, pontes, viadutos ou até mesmo escadas, que permitem o trânsito seguro de animais ao atravessar as estradas.

Para Ana Rúbia Oliveira, Gestora de Projetos e Marketing do Instituto Sustentar, entidade que realiza o Projeto Bichos do Pantanal, ao abordar a questão da passagem de fauna a campanha “Direção legal: Respeite a fauna” traz um diferencial em relação às outras já realizadas.

“Em geral, estas ações focam no comportamento dos motoristas, estimulando a direção defensiva – o que é extremamente importante. Chamar a atenção para as passagens de fauna amplia o conhecimento sobre o problema e suas soluções”.

“É importante que o cidadão saiba que, além da mudança de comportamento, ele pode também cobrar do poder público as soluções efetivas para este problema que, além de grave, é muito triste”, completa.

Ana Rúbia ainda ressalta que a iniciativa privada também pode e deve assumir sua responsabilidade e contribuir.

“Estradas privatizadas ou sob concessão sempre possuem obrigações contratuais de reformas e melhorias em sua infraestrutura”.

(Foto: Câmara Municipal de Arujá)

Projeto Bichos do Pantanal

Com patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, o Projeto Bichos do Pantanal atua na região do Alto Pantanal (Cáceres e Porto Estrela, MT) desde 2013.

O foco é nas áreas de Educação Ambiental, pesquisas voltadas à preservação de espécies  e a promoção da sustentabilidade local por meio do Turismo.

O Projeto já mobilizou, em diversas atividades (entre cursos, eventos, capacitações,  mobilização social e educação ambiental), mais de 450 mil pessoas entre crianças, jovens e adultos.

São pessoas que fazem parte da comunidade escolar, moradores, visitantes e turistas de Cáceres e Porto Estrela.

Saiba mais em: www.bichosdopantanal.org

Instituto Sustentar

O Projeto Bichos do Pantanal é realizado pelo Instituto Sustentar, OSCIP com sede em Belo Horizonte e atuação nacional e internacional.

A entidade é dedicada à implementação e execução de projetos que buscam a sustentabilidade econômica, social e ambiental, junto à iniciativa privada, entidades da sociedade civil e setor governamental.

O objetivo é promover pesquisas técnico-científicas e boas práticas institucionais e empresariais que permitam o desenvolvimento sustentável de nossa sociedade.

Saiba mais em: https://institutosustentar.net/

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGrupo São Benedito anuncia últimas unidades do Royal President
Próximo artigoVÍDEO | Mulher vê homem raptando menina e inicia perseguição a 160 km/h

O LIVRE ADS