Berçários poderão ter 15 alunos por sala e terão que medir temperatura

Escolas de ensino infantil poderão voltar a receber alunos no dia 10, com cumprimento de regras de distanciamento

Berçários foram fechados e os funcionários demitidos para encerrar as mensalidade aos pais em Cuiabá (Foto: Divulgação)

As salas de berçários deverão ter lotação máxima de 15 alunos em Cuiabá. As escolas de ensino infantil estão autorizadas voltar a atender clientes a partir do 10 deste mês, mas com lotação restrita a 50% da capacidade total. 

Conforme o Decreto nº 8.084, publicado na quarta-feira (2) pela prefeitura, o retorno para as escolas será gradual, sem liberação irrestrita das atividades. 

Neste mês, apenas as instituições particulares de ensino infantil receberam a autorização. Elas vão poder receber alunos de 0 a 1 ano (berçário) e 2 a 3 anos (maternal). 

Conforme o Sindicato do Estabelecimentos de Ensino Privado (Sinepe), durante a pandemia, 15 instituições ou salas de ensino infantil fecharam as portas definitivamente em Cuiabá e Várzea Grande. 

O encerramento ocorreu por causa das rescisões de contratos. Em três meses, as escolas particulares perderam cerca de 40 mil alunos. 

O Decreto 8.084 estabelece ainda que as atividades escolares sejam realizadas com respeito ao distanciamento de 1,5 metro entre as pessoas. 

Alunos e funcionários também deverão passar por aferição diária de temperatura. As pessoas que tiverem registro acima de 37,5º C deverão ser impedidas de entrar. 

As escolas também deverão dispor de espaços abertos para reunir os alunos. Eles deverão ter no mínimo uma porta e uma janela e deverão ficar abertas para a circulação de ar. 

Os aparelhos que auxiliam na refrigeração deverão ter o uso reduzido. 

O LIVRE procurou o Sinepe para comentar as regras do decreto, mas não houve retorno até a publicação desta matéria. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorJustiça manda Câmara de Cuiabá votar novamente relatório da “CPI do Paletó”
Próximo artigoCrime no Alphaville? Conheça os detalhes sobre a morte de Isabele, segundo a polícia