Aumento de 13,9% na energia afeta desempregados e quem já economizava

Consumidores que já economizavam antes do reajuste dizem não saber como fazer para que a conta não doa no bolso

(Foto: Arquivo)

Os consumidores de Mato Grosso já não sabem mais onde economizar diante do novo aumento na conta de energia elétrica anunciado nesta terça-feira (03). A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) estabeleceu que a conta da energia no estado ficará R$ 13,98% mais cara. A medida afetará principalmente os consumidores desempregados e aqueles que já economizavam para pagar a conta.

Este é o caso da dona de casa Marenil Magalhães, de 49 anos, que mora em Várzea Grande. Desempregada há três anos, Marenil sobrevive de trabalho informal e tem dificuldades para economizar. Mesmo enquadrada na faixa de consumidores de baixa renda, sua conta chega aos R$ 100 e a obriga a economizar o máximo possível.

“Simplesmente não tem como mais economizar com este aumento. Eu tenho dois ventiladores e uma máquina de lavar. A máquina eu já não uso tanto que é para não ter gasto”, lamenta ela.

Quem também está no limite da contenção de gastos é a gerente de recursos humanos, Miriam Pereira, 53. Ela conta que já deixou de utilizar um dos três ar-condicionados que tem em casa e que, com o aumento, vai ter de dormir junto do filho em um único quarto, para usar apenas um único aparelho de refrigeração.

“O pior é que eu tenho uma doença que me obriga a tomar banho quente, por conta do relaxamento muscular, com o aumento eu vou ter de cortar até o chuveiro elétrico”, reclama Miriam.

O presidente da Energisa, Riberto Barbenera, afirmou aos jornalistas nesta terça-feira (03) que o aumento é resultado de uma avaliação feita pela Aneel no contrato com a concessionária a cada cinco anos.

“O que acontece é que neste ano de revisão tarifária a agência leva em conta todas os investimentos feitos pela concessionária, olha para as despesas e estabelece uma nova tarifa”, explicou ele. Segundo Barbenera, a Energisa investiu mais de R$ 1 bilhão nos últimos cinco anos no estado, na tentativa de ampliar a rede elétrica e melhorar a qualidade.

O aumento começará no dia 8 de abril deste ano e vai se estender até o dia 7 de abril de 2019, quando será realizada uma correção através do índice de inflação, que poderá ser menor ou maior. Uma nova revisão do tipo só será analisada em 2023.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCarlos Bezerra é a novidade
Próximo artigoFalso GPS permite que motoristas aumentem valor de corrida em aplicativos

O LIVRE ADS