Arte Sacra em 3D: UFMT e museu fazem campanha para reproduzir acervo e garantir acessibilidade

Instituições querem arrecadar R$ 126 mil com campanha e prometem recompensas para quem colaborar

Tente apreciar uma obra de arte com os olhos fechados. Parte dos elementos se perde sem o sentido da visão. Para mudar essa realidade e garantir a acessibilidade dos visitantes, a UFMT e o Museu de Arte Sacra de Mato Grosso vão reproduzir o acervo com impressoras 3D.

Para o projeto, as instituições lançaram um financiamento coletivo. A meta é arrecadar R$126 mil até 25 de fevereiro. Para contribuir, acesse site da campanha.

“Essa é uma campanha que irá permitir que crianças e pessoas com dificuldades visuais possam ter acesso ao acervo através de elementos táteis”, afirmou o reitor da UFMT, professor Evandro Soares da Silva.

As coleções do acervo são compostas de alfaias, pratarias, imagens, paramentos, retábulos e indumentárias provenientes dos séculos XVII, XVIII, XIX e XX.

Para incentivar os apoiadores, cada doação é recompensada, com previsão de entrega para março de 2021. Entre as recompensas estão imãs de geladeira , cartões postais do museu, camisetas, desenhos, miniaturas em 3D das obras e até mesmo luminárias.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES) também é parceiro da campanha. Por meio do programa Match Funding BNDES+ Patrimônio Cultural, o banco triplica o valor das doações a cada real doado.

A campanha é feito na modalidade “tudo ou nada”. Isso significa que, caso as instituições não alcancem a meta, todo o valor é devolvido para quem colaborou.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPolícia Federal investiga nova tentativa de invasão ao site do TRF-3
Próximo artigoPGE dá parecer contrário à isenção para aposentados e pensionistas