Após greve, ano letivo deve encerrar em fevereiro de 2020

Seduc vai atuar com dois calendários em 2020, sendo um especial para as escolas que aderiram à greve

Foto:(Ednilson Aguiar/ O Livre)

As escolas que aderiram à greve do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep) não vão conseguir encerrar o ano letivo em 2019. Isso porque a mobilização durou 74 dias e comprometeu mais de 40 dias da carga horária.

Segundo a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), o ano escolar deverá ser finalizado no fim de fevereiro de 2020. A projeção leva em conta o retorno às aulas determinado para esta quarta-feira (14).

A greve dos profissionais teve início no dia 27 de maio e se encerrou na sexta-feira (9). Com 74 dias de duração, ela foi considerada a maior greve da Educação dos últimos anos.

Calendário

Conforme a Seduc, as escolas grevistas deverão elaborar calendário de reposição por conta própria. No entanto, a Pasta enviará ainda nesta semana, uma sugestão. Ao todo, 42 dias letivos deverão ser repostos.

O calendário da Secretaria prevê que as aulas de 2019 corram até 15 de fevereiro de 2020. Depois, um período de férias de 30 dias é concedido. O ano de 2020 começa, então, na segunda quinzena de março.

A medida é válida apenas para as escolas que aderiram à paralisação, que representa quase 50%. As restantes terão outro calendário, já que as aulas não foram afetadas.

Já em relação ao pagamento dos profissionais, o Governo anunciou que vai pagar antecipadamente pela reposição. Uma folha complementar deve ser feita no dia 20 de agosto, para quitar os salários de maio e junho.

Os salários de julho e agosto serão acrescentados na folha de agosto, paga no dia 10 de setembro.

(Com assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS