Agência americana confirma que luz solar destrói rapidamente o novo coronavírus

O clima escaldante de Cuiabá parece ser útil neste momento. 

Imagem: Freepik
Segundo William Bryan, consultor de ciência e tecnologia do Departamento de Segurança Interna, o novo coronavírus, causador da Covid-19, não resiste à luz solar intensa e deve se propagar menos em estações mais ensolaradas como o verão.
O clima escaldante de Cuiabá parece ser útil neste momento.
“Nossa observação mais impressionante até o momento é o poderoso efeito que a luz solar parece ter sobre a morte do vírus, tanto na superfície quanto no ar. Vimos um efeito semelhante tanto com a temperatura quanto com a umidade, o aumento da temperatura ou da umidade ou ambas é geralmente menos favorável ao vírus”, disse.
O consultor explicou que a meia-vida do vírus – tempo necessário para reduzi-lo à metade, era de 18 horas em temperaturas de 21 a 24 graus Celsius, mas isso muda radicalmente quanto mais úmido era o ambiente. Somente seis horas eram suficientes para enfraquecer o vírus. Se adicionada a luz solar na equação, o processo leva apenas dois minutos.
Apesar da notícia ser muito boa, ele relembrou que isso não significa que o verão destruirá o vírus no hemisfério norte. “Seria irresponsável dizer que percebemos que o verão matará totalmente o vírus e que as pessoas poderiam ignoram essas diretrizes”, afirmou. Logo, o distanciamento social e máscaras descartáveis continuam valendo.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“Cobre de nós, presidente!”
Próximo artigoProjeto Biblioteca de Rua disponibiliza livros gratuitamente durante a pandemia