WhatsApp bane mais de mil contas após denúncias recebidas no 1º turno

Mais de 4,6 mil números foram denunciados ao TSE por disparos de mensagens falsas

(Foto: Criado por jcomp - br.freepik.com)

Após o primeiro turno das eleições municipais de 2020, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o WhatsApp anunciam o banimento de mais de mil contas por suspeitas de disparos de mensagens em massa no aplicativo. As contas foram denunciadas através de uma plataforma do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

No período de 27 de setembro a 15 de novembro, primeiro turno das eleições, o canal com o TSE recebeu 4.759 denúncias. Destas, 129 foram desconsideradas por não estarem relacionadas às eleições.

Ao todo, 4.630 casos foram enviados ao WhatsApp para verificação de possível violação dos Termos de Serviço. A ideia é combater a “viralidade” e as notícias falsas nas Eleições de 2020.

Após uma primeira etapa de revisão, o WhatsApp identificou números duplicados e inválidos. Das 3.236 contas válidas identificadas, 1.004 foram banidas por violação.

Entre as contas banidas, mais de 63% já tinham sido bloqueadas de forma proativa e automática pelo WhatsApp, antes mesmo de serem reportadas.

“O disparo em massa de mensagens é uma prática proibida, passível de punição nas eleições. Os eleitores devem estar atentos e denunciar atividades suspeitas que desequilibrem o processo eleitoral”, afirma a secretária-geral da Presidência do TSE, Aline Osorio.

“A parceria com o TSE reforça o compromisso do WhatsApp com a integridade das eleições brasileiras e os resultados obtidos até o primeiro turno indicam a assertividade das iniciativas implementadas”, afirma Dario Durigan, Head de Políticas Públicas do WhatsApp no Facebook Brasil.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSegunda onda de covid-19: será que ela chega em MT?
Próximo artigoEsposa de Sérgio Moro diz que ele não deve ser candidato em 2022