Você também fica “surdo” quando está de máscara? Fonoaudióloga explica

Especialista diz que mesmo alguém com audição normal pode ter uma diminuição de 30% na audibilidade por conta dessa barreira

Fonoaudióloga Vanessa Moraes
Fonoaudióloga Vanessa Moraes

O uso de máscaras e as medidas de distanciamento social durante a pandemia da covid-19 podem dificultar a comunicação entre as pessoas, especialmente para quem já tem problemas auditivos. A fonoaudióloga Vanessa Moraes, de Cuiabá (MT), fala sobre como enfrentar estes desafios impostos pela pandemia.

As máscaras faciais afetam de duas maneiras a compreensão da fala. “As máscaras restringem importantes sinais visuais da fala ao cobrir a boca e também podem alterar as propriedades acústicas do sinal de fala que é transmitido. Mesmo alguém com audição normal pode ter uma diminuição de 30% na audibilidade”, explica a fonoaudióloga, que também é audiologista.

Por causa da pandemia, também é recomendado, como medida de segurança, distância mínima de um metro e meio entre duas pessoas, o que significa aproximadamente o dobro da característica de distância de muitas conversas normais.

“Com isso, o sinal de fala já atenuado será reduzido ainda mais, tornando uma conversa já difícil ainda mais desafiadora”, pontua.

Diante deste cenário, Vanessa Moraes dá dicas importantes para enfrentar este momento e garantir uma boa comunicação. A primeira delas é se posicionar sempre de frente para a pessoa com quem está falando.

“Também é importante que você se comunique em local claro, para que seu rosto esteja iluminado, o que ajuda muito no contato visual”.

A especialista também orienta o uso de técnicas que auxiliem a clareza da comunicação, como falar de forma lenta e clara, usar gestos e frases curtas, fazer uma pausa ocasional, porém sem gritar ou articular demais.

“Nunca tenha uma conversa importante enquanto caminha lado a lado e reformule suas perguntas ao invés de repetir as mesmas palavras”, pontua Vanessa Moraes, orientando ainda para procurar minimizar os ruídos do ambiente.

Outra estratégia é escrever palavras chaves para facilitar o entendimento e sentar-se o mais próximo possível, porém, respeitando a distância segura. “Se possível, considere um modelo de protetor facial transparente para maximizar os sinais faciais”, acrescenta a especialista em aparelhos auditivos.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDeputados e especialistas debatem tratamento de pacientes com sequelas da covid-19
Próximo artigoDeputado de MT quer caracterizar covid-19 como doença ocupacional