Tatuador preso por abusar de cliente criava cobra americana e jiboia em casa

Ele é acusado de abusar sexualmente de uma cliente que ia fazer uma tatuagem e, quando a polícia foi revistar a casa, encontrou as cobras

Foto: Reprodução / Facebook

Um tatuador de 41 anos, identificado como José André Tavares, foi preso nessa terça-feira (28) acusado de estuprar uma cliente, de 25 anos, que foi a seu estúdio fazer uma tatuagem, no Bairro Cophalis, em Rondonópolis (220 km de Cuiabá).

Quando a polícia revistou o local, que também é a casa do tatuador, encontrou ainda duas cobras, uma jiboia e uma cobra americana chama “corn snake”, uma arma e uma porção de maconha.

Estupro

O caso teve início quando a cliente chegou no estúdio para fazer uma tatuagem, por volta das 23 horas. Ela havia marcado horário com o tatuador e foi na companhia do namorado.

Ao chegarem, porém, José André impediu que o namorado da cliente entrasse, alegando que era protocolo de combate à covid-19. O rapaz, de 28 anos, então ficou do lado de fora do prédio e a cliente entrou sozinha.

Na sala da recepção, o tatuador teria pedido para que a jovem ficasse nua e a posicionado sentada; porém, o local da tatuagem não exigiria que a cliente ficasse nua. Além disso, segundo a denúncia, ele passou a acariciá-la nas pernas, aproximando-se das nádegas e abrindo as pernas dela, deixando o órgão genital exposto.

Já na sala onde o procedimento seria realizado, o profissional pediu que a cliente se despisse e ficasse de costas, pois a tatuagem seria feita na parte de trás da coxa.

Porém, enquanto aguardava, a jovem sentiu o suspeito esfregar o órgão genital dele nas nádegas dela. Assustada, ela se virou e o flagrou recolher o pênis e fechar o zíper.

Ao perceber que a cliente estava apavorada, o tatuador tentou disfarçar e convencê-la a ainda fazer a tatuagem, mas ela saiu correndo da sala, em direção ao namorado, que acionou uma equipe da Polícia Militar que passava pelo local.

Prisão

Os policiais foram até o estúdio, onde também era a casa do tatuador, acionaram reforços e cercaram o local. O suspeito tentou fugir pelos fundos da casa, mas acabou detido em cima do telhado e algemado.

Na casa, os policiais encontraram duas cobras, uma jiboia e uma cobra branca americana chamada de “corn snake”.

Também foram encontrados espoletas e pólvora preta, usados para carregar cartuchos, um tablete de maconha, balanças de precisão, dinheiro trocado, uma espingarda adaptada para calibre 22 já municiada, uma arma do tipo besta, flechas e uma machadinha.

Por causa das cobras, a Polícia Militar Ambiental foi acionada e recolheu os animais.

O local tinha câmeras. Os policiais recolheram o equipamento de armazenamento para que seja feita uma análise pericial para ver se as câmeras flagraram o suposto abuso sexual dele contra a vítima.

Ele foi encaminhado para a delegacia acusado de estupro, tráfico ilícito de drogas, porte ilegal de arma de fogo de uso permitido e vender, expor à venda, exportar ou adquirir, guardar, ter em cativeiro ou depósito, utilizar ou transportar ovos, larvas ou espécime da fauna silvestre ou produtos e objetos dela oriundos.

Foto: Polícia Militar

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorWantuil de Freitas realiza Cirurgia Espiritual Online neste fim de semana
Próximo artigoAinda não dá para permitir a volta às aulas em Cuiabá, diz prefeito