Sem evento, sem faturamento: sindicato pede retorno de eventos controlados em MT

Mais de 5,2 mil empresas foram prejudicadas pelas restrições, afirma o setor. Sindicato quer liberação de eventos sem aglomeração

(Foto: Divulgação)

Em quase um ano de pandemia, mais de 5,2 mil empresas filiadas ao Sindieventos foram prejudicadas pelas medidas restritivas adotadas. As informações são da presidente do sindicato, Alcimar Moretti, que pede apoio para assegurar a sobrevivência do setor, fortemente abalado pela covid-19.

“Nosso setor é o único que foi 100% afetado e nós viemos buscar o apoio da Assembleia Legislativa. Estamos sem faturamento, demitimos funcionários. Nós movimentamos 53 segmentos da economia e precisamos ser ouvidos”, afirma.

O Sindicato das Empresas de Eventos e Afins pede a flexibilização do decreto nº 783/2021 publicado pelo governo, que restringe a atuação do setor.

Outros pedidos

O grupo também pede que alguns eventos que, segundo Moretti, não promovem aglomerações sejam liberados.

“Há muitos eventos possíveis de serem controlados, como os corporativos e as feiras técnicas e agropecuárias, que são realizadas em locais abertos, com distanciamento entre os stands e pouca circulação de pessoas”, salientou.

O Sindieventos também quer:

  • isenção do IPVA de 2021 dos veículos das empresas com a Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) do setor;
  • a realização de licitações para o setor por lotes e de acordo com o segmento;
  • a flexibilização, em razão da pandemia, das dívidas com entes públicos;
  • o adiamento da publicação no Diário Oficial da lei do FUNDES até que sejam liquidados os 37 financiamentos que estão em fase final;
  • a ampliação dos prazos para pagamento de financiamentos anteriormente contratados.(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. Tiveram a oportunidade de mostrar que o setor tinha compromisso com a preservação da vida e não o fizeram, pelo contrário, brincaram com a Vida das pessoas. Não respeitaram regras, recomendações e nem o direto das pessoas de não serem contaminados por inconsequentes qie circulam como se não estivéssemos em uma Pandemia.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSTJ mantém internação de adolescente que matou amiga em Cuiabá
Próximo artigoPolícia Civil cumpre mandados contra supostos membros de facção