Retorno dos hóspedes: resort adota estratégias para driblar pandemia

Enquanto a pandemia não acaba, empresas apostam em descontos para atrair pessoas de cidades próximas e que, talvez, não fossem um público alvo

(Foto: Assessoria)

Para se reinventar após a primeira onda da pandemia do novo coronavírus – e se espera que seja a única – estabelecimentos de turismo estão apostando alto em estratégias para atrair, principalmente, os clientes que moram em cidades mais próximas.

O Malai Manso, por exemplo, tem dado descontos de até 20% de domingo a sexta-feira e conversão em crédito – nas lojas oficiais do estabelecimento – do valor gasto pelos clientes em pedágios dentro do Estado, pagos na viagem até o local, que fica às margens do Lago do Manso.

O Malai se adequou todo para oferecer segurança aos hóspedes mesmo durante a pandemia (Foto: assessoria)

O resort ficou fechado entre 21 de março e o final de maio. Voltou a operar em junho, com rigorosas medidas de segurança como, por exemplo, atendimento a apenas 50% de sua capacidade.

Entre as medidas de segurança ainda está o uso obrigatório de máscaras pelos funcionários e pelos clientes.

Locais de uso comum continuam fechados – como academias e sauna.

Segundo a direção, apesar disso, muitas pessoas têm se hospedado no Malai. E a estratégia de atrair quem está perto vem dando resultado. A maioria são clientes mato-grossenses, porque ainda há muito receio de viagens longas e a malha aeroviária não está 100% restabelecida.

Bangalôs em meio a natureza são opção para hospedes que querem se manter isolados e curtir as belas paisagens da região do Manso (Foto: assessoria)

Quem resolvei ir ao Malai ainda tem muito o que aproveitar. Alternativa encontrada pelo resort é proporcionar passeios e atividades ao ar livre e em conexão com a natureza, o que dá para fazer com distanciamento entre as pessoas garantindo, já que o empreendimento fica em uma área de 117 hectares.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPrefeitos querem ser liberados para investir menos de 25% de suas receitas na Educação
Próximo artigo110 anos de Adoniran Barbosa: a irreverência e o bom humor do samba brasileiro