População resistente

Para o governador Mauro Mendes, pessoas não aderem mais ao isolamento social porque ele foi muito precoce em algumas cidades

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

A dificuldade que alguns municípios estão tendo em convencer seus moradores de que é preciso ficar em casa – inclusive com atividades econômicas paralisadas – para conter a pandemia do novo coronavírus, para o governador Mauro Mendes (DEM), tem um culpado: a decisão “precoce” de lockdown logo que os primeiros casos de covid-19 surgiram no Estado.

A afirmação foi dada em entrevista à CNN Brasil, no início da tarde desta quarta-feira (15).

Para Mendes, alguns prefeitos se anteciparam, determinando o fechamento do comércio no final de março, quando a covid-19 ainda não havia se alastrado pelo Estado. Agora, que o número de infectados aumentou e – na avaliação do governador -, de fato, é preciso um maior distanciamento social, as pessoas estão “estressadas” e não querem mais aderir à medida.

Mauro Mendes não citou nenhum prefeito especificamente. Ao longo da entrevista, sua única referência foi às prefeituras de Cuiabá e Rondonópolis, mas quando o assunto foi a instalação de leitos para atender os pacientes da pandemia.

O governador disse que, no caso da Capital, não foram criados leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs) novos, apenas remanejados os que já existiam, o que fez faltar vagas para pessoas com outras doenças.

Já no caso de Rondonópolis, Mauro Mendes disse que houve uma tentativa frustrada de criar essas novas vagas.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPoliciais ajudam em parto e levam mãe e bebê, ainda com cordão umbilical, para hospital
Próximo artigoJuiz aumenta para R$ 209 mil fiança de pai de adolescente envolvida em morte acidental