PM prende “bicheiro” que diz ter parado ao ver o chefe ser preso

Idoso foi descoberto quando policiais suspeitaram de apostador que saia de papelaria

Foto: PMMT

Dois homens foram presos na tarde dessa quinta-feira (6) acusados após serem encontrados com apostas de jogo do bicho no Bairro Água Limpa, em Várzea Grande (Região Metropolitana de Cuiabá). Um deles, de 61 anos, disse que já registrava os jogos há três meses, mas que havia parado na semana passada, quando viu na TV que um de seus chefes havia sido preso.

O homem se referia à Operação Mantus, deflagrada pela Polícia Judiciária Civil e que resultou na prisão de 33 pessoas acusadas de envolvimento com duas organizações criminosas envolvidas com lavagem de dinheiro e com a contravenção penal conhecida popularmente como “jogo do bicho”. O ex-comendador João Arcanjo Ribeiro, seu genro, Giovanni Zem Rodrigues, e o empresário Frederico Müller Coutinho são apontados como líderes das duas organizações.

No caso dessa quinta-feira, uma equipe da Polícia Militar fazia rondas pela região central de Várzea Grande quando, ao passar pela Avenida Castelo Branco, encontrou um senhor saindo de um comércio. A postura dele foi considerada suspeita, visto que, segundo os policiais, ao ver a viatura, o homem demonstrou nervosismo.

Os policiais, então, o pararam e realizaram uma checagem criminal em que nada foi encontrado. Porém, o homem, de 49 anos, tentou jogar um papel no chão. Ao pegar o papel, os policiais viram que se tratava de uma aposta de jogo do bicho.

Questionado, ele mostrou onde havia feito a aposta e levou os militares até o local, uma papelaria. No comércio, a equipe foi recepcionada por um idoso de 61 anos, que ao ser questionado sobre a venda de jogos de azar ficou nervoso e disse que já negociava os jogos há três meses.

O idoso permitiu a entrada da equipe militar e, no local, foram encontradas duas máquinas de jogos, 12 cartuchos de bobinas, vários documentos (RGs, CPFs, CLRVs, CNHs), possivelmente penhorados para realização de jogos, dois blocos de resultados e R$ 2 mil em dinheiro trocado.

O suspeito de 61 anos disse que R$ 1,5 mil eram do aluguel do estabelecimento, o restante do jogo do bicho. Ele disse ainda que tinha parado de realizar os jogos na semana passada, quando viu na TV que um de seus chefes havia sido preso, mas voltou nos últimos dias.

Os dois foram presos e encaminhados para a Central de Flagrantes de Várzea Grande.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAgente de trânsito multa mulher por excesso de beleza
Próximo artigoCampeonato de futebol reúne imigrantes do Haiti, Venezuela e países africanos