Padre é assassinado na Nigéria após celebrar Missa do Galo

O assassinato faz parte de série de ataques ocorridos desde 2009, quando se iniciou a insurgência do grupo muçulmano Boko Haram

Padre Luke Adeleke, assassinado na véspera de Natal na Nigéria (Foto: The Guardian Nigeria)

O padre Luke Adeleke, de 38 anos, da diocese de Abeokuta, Nigéria, foi assassinado na véspera de Natal, 24 de dezembro, enquanto voltava para sua casa após celebrar a Missa do Galo. As informações são da ACI Digital.

De acordo com a agência vaticana Fides, o sacerdote foi baleado num tiroteio próximo a sua residência na perigosa cidade de Ogunmakin Obafemi Owode. O projétil foi disparado por um membro de gangues locais.

“Os policiais atiraram nos homens armados”, disse a porta-voz do Comando da Polícia Estadual, Abimbola Oyeyemi, após confirmar a morte de Adeleke. “Alguns escaparam com ferimentos a bala”.

Esse assassinato faz parte de uma série de ataques ocorridos desde 2009, cujos alvos são o clero e os cristãos da Nigéria, segundo a ACI Digital. No ano em questão, deu-se início a insurgência do grupo muçulmano Boko Haram para converter o país num Estado Islâmico.

A mesma fonte fornece alguns exemplos de investidas contra cristãos nigerianos pelo grupo muçulmano:

  • em 6 de dezembro, o padre Joseph Ajayi, de 49 anos, da diocese de Ondo, foi sequestrado na rodovia Akure-Ikere;
  • no dia 13 de outubro, o padre Mark Chimezie Godfrey foi sequestrado na diocese de Umuahia, na Nigéria, após celebrar a missa na paróquia de São Gabriel, próxima a sua casa, em plena manhã;
  • em 11 de outubro, homens armados atacaram o Seminário Maior Cristo Rei, da diocese de Kafanchan, e sequestraram três seminaristas, libertados dois dias depois;
  • em dezembro de 2020, o bispo Dom Moses Chikwe, auxiliar da arquidiocese de Owerri, foi sequestrado e também libertado ileso.

Em 7 de outubro, líderes de várias denominações cristãs do sudeste da Nigéria demonstraram suas preocupações quanto aos ataques e ao aumento da insegurança na região. Disseram que parte da Nigéria rumava para a anarquia.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSem passaporte sanitário
Próximo artigoHomem que matou e arrancou o coração da tia não pode ser responsabilizado