Oito dias, o resto é feriado

Prefeito tentou “consolar” o comércio lembrando que não haveria atividade normal, mesmo sem coronavírus

(Foto: Reprodução)

Ao anunciar que vai estender até o dia 21 de abril a ordem para que praticamente todo o comércio de Cuiabá permaneça fechado, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) lembrou o setor produtivo de que o “sacrifício” nem deve ser tão grande assim.

É que dentro dos próximos 15 dias, em condições de normalidade, o comércio já ficaria fechado por pelo menos 7 graças a feriados prolongados e finais de semana.

Na quarta-feira (8), o feriado seria pelo Aniversário de 301 anos da Capital. E logo em seguida, no dia 10, as atividades voltariam a ser interrompidas por conta da Sexta-feira Santa.

Três dias depois – dos quais dois seriam de final de semana –, na terça-feira (21), haveria o feriado nacional de Tiradentes.

Em sua conta, Emanuel Pinheiro considerou como dias “não úteis” a quinta e segunda “imprensadas” entre tantas datas comemorativas. Portanto, chegou ao número 7.

O prefeito só esqueceu que o comércio costuma abrir aos sábados e nos dias que os órgãos públicos “emendam” com os feriados oficiais.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVG busca recursos para o combate ao covid-19
Próximo artigoJustiça suspende destruição de lavouras de soja destinadas à pesquisa científica