“Ninguém chama o presidente da Argentina de genocida”, diz Paulo Guedes

O ministro criticou a oposição ferrenha que setores da mídia e artistas fazem ao presidente Bolsonaro

(Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados)

O ministro da Economia Paulo Guedes criticou o excesso de oposição feita ao presidente Jair Bolsonaro. Em audiência na Câmara dos deputados nesta quinta-feira (12), Guedes comparou a situação do Brasil com a da Argentina.

Segundo o ministro, apesar da situação da Argentina ser mais grave do que a do Brasil em relação ao coronavírus, o presidente da Argentina não é chamado de “genocida”.

De acordo com Gudes, existe um “excesso” de oposição feita ao presidente da República por alguns atores políticos.

“Tem gente morrendo na Argentina, aqui do lado, muito mais, e ninguém chama o presidente da Argentina de genocida. Então, às vezes, há excesso de alguns atores, mas as instituições continuam avançando”, disse Guedes aos parlamentares.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMedida provisória autoriza produtores a vender etanol direto para postos de combustíveis
Próximo artigoCuiabá: Ex-secretário financeiro diz que compras da Saúde passam por adjuntos