MP arquiva denúncia de suposto desvio de finalidade contra o ex-secretário Leandro Carvalho

Também determinou a revogação da suspensão do contrato de gestão entre a Secretaria e Orquestra

Foto: Ednilson Aguiar

Após dois meses de análise, o Ministério Público conclui que não há qualquer irregularidade do ponto de vista legal e que não se verificou qualquer improbidade na conduta profissional do ex-secretário de Estado de Cultura, Leandro Carvalho, relacionada as atividades de secretário da pasta e trabalhos de regência junto a Orquestra do Estado de Mato Grosso.

Em abril deste ano, o Ministério Público de Mato Grosso recebeu denúncia anônima de suposto desvio de finalidade na execução do contrato de gestão firmado em 2014 entre a Secretaria de Estado de Cultura e a Orquestra do Estado de Mato Grosso.

Em seguida, o MPE recomendou a suspensão do contrato para apurar os fatos, requerendo à Secretaria de Estado de Cultura e à Orquestra de Mato Grosso o encaminhamento de todos os documentos que compõe o contrato, tais como processos de pagamento, prestações de contas e relatórios de execução.

O Ministério Público concluiu, por fim, que não há motivos para mais investigações, bem como provas para motivar qualquer tipo de ação civil pública por entender que inexiste justa causa para o prosseguimento do processo e determinou a revogação da determinação de suspensão da contratação tornando válidos todos os termos do contrato.

Em nota, a assessoria de imprensa da Orquestra do Estado de Mato Grosso se manifesta dizendo que “em 14 anos de atividades, a Orquestra primou pela excelência dos serviços prestados à população não só do ponto de vista artístico como também administrativo e jurídico. A decisão de arquivamento por parte do Ministério Público de Mato Grosso, após a análise minuciosa de todos os resultados apresentados pela OEMT, corrobora com esse entendimento. A OEMT lamenta, contudo, o caráter anônimo da denúncia, uma vez que ficou clara a intenção de prejudicar e denegrir a imagem da Orquestra e seus dirigentes, por meio de subterfúgios e inverdades, numa inescrupulosa tentativa de levar quem analisa a denúncia ao erro”.

O atual secretário de Cultura do Estado, Gilberto Nasser, diz que “a Orquestra de Mato Grosso presta um importantíssimo serviço à cultura, levando suas atividades não só à salas de concertos e teatros, mas à praças públicas e às escolas, atingindo diversos públicos, descentralizando e democratizando o acesso à música de orquestra, além de representar o Estado de Mato Grosso no Brasil e no exterior, sempre como sinônimo de um trabalho de excelência”.

Em 14 anos de atividades, a Orquestra de Mato Grosso realizou quase 700 concertos em mais de 120 cidades de 23 estados brasileiros, atingindo centenas de milhares de expectadores. A criatividade de seu repertório, a inclusão de um naipe de violas de cocho e instrumentos de percussão típicas da cultura mato-grossense e o formato dos concertos aproximou o público da música de concerto e permitiu uma grande descentralização de suas atividades.

Parte do trabalho da Orquestra de Mato Grosso está registado em 17 discos e 4 DVDs que podem ser ouvidos gratuitamente on-line. Em 13 temporadas de sucesso, 15 maestros e 46 convidados de prestígio nacional e internacional contribuíram para a inserção de Mato Grosso no cenário da música instrumental brasileira e trouxeram grande repercussão na imprensa nacional. O programa educacional da Orquestra qualificou mais 2.000 professores, levando a série de Concertos Didáticos para 315 escolas da rede pública e privada de diversos municípios de Mato Grosso, alguns por vários anos consecutivos.

A OEMT já se apresentou nos principais teatros do Brasil como Auditório Ibirapuera [SP], Teatro Nacional Claudio Santoro em Brasília [DF], Teatro Castro Alves em Salvador [BA], Teatro José de Alencar em Fortaleza [CE], Teatro Santa Isabel em Recife [PE], Teatro Tobias Barreto em Aracaju [SE], Teatro Santa Roza em João Pessoa [PB], Teatro Álvaro de Carvalho em Florianópolis [SC], Teatro Sete de Abril em Pelotas [RS], Teatro Carlos Gomes em Vitória [ES], Teatro Fernanda Montenegro em Palmas [TO] e Teatro das Bacabeiras em Macapá [AM], e Teatro Paulo Autran – Sesc Pinheiros [SP].

A OEMT foi finalista do “XII Prêmio Carlos Gomes de Ópera e Música Erudita”, a mais importante premiação do setor, em cerimônia realizada na Sala São Paulo [SP], em maio de 2009; foi convidada para apresentar sua trajetória de sucesso no Classical Next, um dos mais importantes encontros do setor, realizado em Viena, na Áustria, em 2014; participou do Programa de Desenvolvimento Profissional ‘Transform Orchestra Leadership’, desenvolvido pelo Conselho Britânico que em 2014/15, intercâmbio entre profissionais do Brasil e do Reino Unido, o maior encontro da indústria de música clássica do Reino Unido.

Em 2017, o álbum Alegria, com o bandolinista Hamilton de Holanda, foi indicado em duas categorias do “Prêmio da Música Brasileira”, o mais importante do setor: melhor álbum instrumental e melhor solista. A cerimônia de entrega dos prêmios foi realizada no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, com ampla repercussão na imprensa nacional.

Em 2018, o álbum Terra de Sonhos, com Renato Teixeira, foi apontado pelo portal G1, do Grupo Globo de Comunicação, como um dos melhores de 2017. O lançamento desse disco, em dezembro de 2017, recebeu ampla divulgação nacional em alguns dos principais veículos de mídia impressa, online, televisiva e radiofônica, incluindo o programa da TV Globo “Manhã com Fátima”, e Radio CBN Nacional.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. Como classificar o indivíduo que usa um instrumento de proteção à vida das pessoas (denúncia anônima), para prejudicar pessoas e instituições ? é melhor não buscar a definição!

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCurso capacita mais de 30 multiplicadores da arte de contar histórias
Próximo artigoBanco do Brasil destina R$ 103 bilhões para crédito agrícola