Jovem denuncia o chefe por assediá-la e até mostrar órgão sexual para ela

Ele aproveitava pontos cegos das câmeras de segurança da empresa para mostrar o órgão sexual e pedir sexo oral

Imagem ilustrativa

Uma jovem de 26 anos denunciou seu chefe, de 27 anos, dizendo não aguentar mais os assédios constantes dele no local de trabalho dos dois, uma empresa no Distrito Industrial de Cuiabá.

Conforme o boletim de ocorrência, a vítima trabalha na portaria da empresa há dois anos e 10 meses e vem sofrendo vários abusos por parte do chefe, que passa a mão no corpo dela, tenta roubar beijos e até mesmo coloca o órgão sexual para fora em pontos cegos da câmera, pedindo por sexo oral.

Ela afirmou que o suspeito usa o cargo de superior para tirar proveito da situação e, quando não consegue o que quer, trata mal as funcionárias pelo rádio de comunicação dos funcionários, pelo telefone e também pessoalmente. Em uma das vezes, ela disse que todos ouviram quando o suspeito a ofendeu no rádio, “deixando-a humilhada”.

A vítima afirmou à polícia que percebeu que os abusos não acontecem somente com ela, mas também com suas colegas de trabalho. E que, como ela não cedeu aos assédios, ele começou a cobrar várias coisas desnecessárias, tornando o trabalho muito difícil.

Indignadas, as funcionárias resolveram denunciar o chefe aos superiores, mas, ao invés de conseguirem que alguma providência contra ele fosse tomada, ele passou a dificultar ainda mais o trabalho delas.

Depois da denúncia, ele, ainda segundo o boletim de ocorrência, aproveitou seu cargo para conseguir acesso ao e-mail de uma funcionária pelo computador de trabalho dela, pegou fotos íntimas dela, criou um perfil falso no Facebook e ameaçou divulgar as imagens.

O caso foi registrado como assédio sexual e importunação ofensiva ao pudor e deverá ser investigado pela Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Cuiabá.

LEIA TAMBÉM

Recém-saído da cadeia, condenado por estupro abusa de sobrinha de nove anos

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAtaque dos EUA impactará no preço dos combustíveis, diz Bolsonaro
Próximo artigoLei de abuso de autoridade em vigor