Índice de abstenção passa dos 29%; o maior desde 1996

Rio de Janeiro e São Paulo bateram recordes históricos de eleitores que decidiram não ir votar

(Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

No segundo turno das eleições municipais, realizado neste domingo (29), o país registrou 29,5% de abstenções. O índice é o maior índice desde 1996, quase 25 anos atrás.

O número de pessoas que deixaram de votar no segundo turno cresceu em quase todas as Capitais do país.

Os eleitores que mais abriram mão do direito de votar foram os do Rio de Janeiro, que registrou 35% de abstenções. São Paulo apareceu em segundo lugar, com abstenção de 30,81% do eleitorado.

O número de não votantes nessas duas cidades foram os mais altos registrados na história do país.

Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Luís Roberto Barroso confirmou que o nível de não votantes foi alto, algo que já era esperado por conta da pandemia da covid-19. Entretanto, destacou que, apesar do novo coronavírus, 70,5% dos brasileiros foram às urnas nas 57 cidades que tiveram um segundo turno para escolha dos prefeitos.

“Se consideramos que conseguimos realizar uma eleição numa pandemia com mais de 70% de comparecimento, eu olharia para o copo meio cheio, não meio vazio. Foi uma grande realização”, disse o ministro em entrevista coletiva.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDada a largada: Guimarães se apresenta como candidato a presidente da Câmara de Cuiabá
Próximo artigoBairros tradicionais e com mais servidores públicos garantiram vitória a Emanuel