Homem chega em bar após briga, é confundido com envolvido em confusão e acaba morto

Roger da Silva Ferreira foi atingido por um tiro na nuca

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

Quando Roger da Silva Ferreira entrou em um bar localizado no bairro Boa Esperança em Sinop (500 km de Cuiabá), no dia 2 de maio, a confusão que resultaria em sua morte já tinha acabado. Seu assassino já havia ido embora, mas voltou armado.

O homem, cuja identidade não foi revelada pela Polícia Civil, foi preso na última sexta-feira (6), quando saia do escritório do seu advogado, onde participava de uma audiência.

Nas investigações da Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) da Delegacia de Sinop, ficou comprovado que a vítima foi morta por engano. O autor do crime havia se envolvido em uma confusão no estabelecimento antes de Roger chegar ao local.

Após discutir e ameaçar outros clientes, o suspeito saiu em sua motocicleta, momento em que a vítima chegou ao bar. Enquanto isso, o autor do crime foi até sua casa, pegou uma arma e voltou ao local. Ele efetuou disparos contra os clientes e atingiu Roger na nuca.

A DHPP conseguiu comprovar a autoria do crime porque, além do relato de testemunhas, havia fotografias do suspeito durante a discussão e também de um vídeo em que ele aparece indo embora após os disparos.

Diante das evidências, foi emitido mandado de prisão. Ela ocorreu quando o suspeito participava de uma audiência criminal por videoconferência no escritório de seu advogado.

Sabendo que ele estava lá, os policiais realizaram vigilância do local, dando cumprimento ao mandado no momento em que ele saiu. O suspeito foi conduzido à Delegacia de Sinop para as providências cabíveis e posteriormente encaminhado à unidade prisional, ficando à disposição da Justiça.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCantora Vanusa morre aos 73 anos
Próximo artigoCuiabanos aumentam ritmo de endividamento no fim de ano