Funcionário de prefeitura mata amante da esposa após descobrir traição

Ele mexeu no celular da esposa, descobriu a traição e foi tirar satisfação com o amante

Foto: Imagem Ilustrativa

Um homem de 29 anos, funcionário da Prefeitura de Nova Lacerda (550 km de Cuiabá), matou outro, de 40, nessa terça-feira (9). Ele suspeitou se tratar de um amante de sua esposa. A “descoberta” teria sido feita após o assassino mexer no celular da mulher.

A Polícia Militar foi acionada em uma oficina de motos, no centro de Nova Lacerda, após moradores ouvirem barulho de vários tiros. Uma equipe foi até o local e encontrou uma ambulância prestando socorro à vítima, que não resistiu aos ferimentos.

Testemunhas informaram aos policiais que o suspeito havia fugido em um Crossfox e ido para o pátio da prefeitura, local em que, segundo disseram, ele trabalha.

Os militares foram para a prefeitura e, após um tempo, encontraram o suspeito em uma sala de unidade de saúde. Ele não resistiu à prisão.

Questionado sobre o ocorrido, ele disse que, mais cedo, mexeu no celular de sua esposa e descobriu que ela estava tendo um caso com a vítima. Com isso, foi até a oficina tirar satisfação com o suposto amante.

Já no local, deu um tapa no homem, que revidou a agressão. Em resposta, ele deu vários tiros no homem e fugiu.

Sobre a arma utilizada no crime, ele disse ter dispensado no consultório dentário do município, mas, a princípio, ela não foi encontrada. A polícia achou apenas um carregador de pistola, contendo 18 munições intactas.

O suspeito, no entanto, disse que a arma é registrada e que tem posse dela.

Já durante o registro da ocorrência, ele aceitou levar os policiais até o local em que a arma estava e a entregou. Era uma pistola calibre 380 e estava com um carregador e uma munição intacta.

O caso foi registrado como homicídio doloso.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPrefeitura de Cuiabá amplia rede para tentar frear casos graves de covid-19
Próximo artigoMinistros não chegam a um entendimento e destino de Moro ainda é incerto