Festividades de fim de ano dividem opiniões de vereadores de Cuiabá

Em Cuiabá não há previsão de realização de eventos pelo poder público, mas parlamentares sinalizam apoio ou não a essas comemorações

Foto: Reprodução

Fim de ano se aproximando e algumas cidades do país já se organizam para as festividades tanto de dezembro quanto fevereiro de 2022. Enquanto isso, na Capital mato-grossense ainda não há nenhuma definição ou anúncio por parte da prefeitura.

Porém, mesmo sem nenhuma confirmação, os vereadores de Cuiabá já pensam no assunto e se dividem entre aqueles que concordam com as festividades, desde que observadas as medidas sanitárias, e os que avaliam que ainda não é o momento para se debater sobre isso porque a pandemia não acabou.

Resgate cultural

Para alguns vereadores, pensar nas festas de final de ano e carnaval é uma forma de resgatar a nossa cultura e devem entrar na agenda do município.

Há muitas possibilidades de a cultura se transformar em instrumento de promoção de renda e o município deveria considerar a importância das festas e de outras manifestações culturais”, diz a vereadora Edna Sampaio (PT).

Já o vereador Diego Guimarães (Cidadania) pontua, contudo, que sejam festividades culturais, recreativas e com atrações para toda a família, mas sem alvoroço e atrações que custam caro para a cidade e têm pouco retorno para a população.

O parlamentar Sargento Joelson (SD) reforça que o setor de eventos foi e ainda é bastante prejudicado, pois depende da presença do público para gerar a renda.

Contudo, conforme complementa, o Sargento Vidal (PROS), é preciso retomar, mas observando as medidas de biossegurança para evitar a propagação do coronavírus.

“É extremamente importante resgatar a nossa cultura, é um tempo em que as pessoas ficam sensíveis e emotivas, torcendo por tempos melhores. Mas ainda não vencemos a pandemia é preciso manter os cuidados”, concorda com os demais colegas, o vereador Pastor Jeferson (PSD).

Guimarães ainda indica que a Orla do Porto e a Arena Pantanal, como lugares abertos, seriam boas opções de locais para receberem essas festividades.

Ainda é cedo para opinar

Apesar do cenário positivo atualmente, em que a Capital tem registrado queda nos registros diários tanto de casos quanto de óbitos, e também de internação, há quem ainda ache cedo para tomar uma decisão sobre algo a longo prazo.

Médico por formação, Dr Luiz Fernando (Republicanos) explica que, se esse cenário de declínio se mantiver, é possível se considerar fazer algo que possa mobilizar tantas pessoas. Contudo, ainda não é o momento propício para isso.

“Falar disso hoje é muito arriscado, precisamos trabalhar com dados palpáveis e a covid-19 provoca um cenário que muda bastante”, reforça.

A vereadora Maria Avalone (PSDB) reconhece que a economia está em uma fase ruim, sofrendo muito com o fechamento do comércio e o desemprego em massa. A parlamentar lembra ainda que, mesmo com a vacina,  é preciso manter os cuidados como uso de máscara, álcool gel e distanciamento social.

“Esses tipos de eventos empregam muitas pessoas e fazem a economia girar. Contudo, ainda não é o momento de realizar grandes festividades por conta do cenário pandêmico que persiste, mesmo que em dados mais amenos”, conclui.

Já confirmaram

As expectativas são grandes depois de tantas restrições impostas pela pandemia da covid-19.

No Rio de Janeiro (RJ), por exemplo, a prefeitura anunciou, nesta terça-feira (5), as empresas organizadoras do evento de 31 de dezembro. O prefeito Eduardo Paes (PSD), inclusive, também já afirmou que devem ocorrer festas carnavalescas de 26 de fevereiro a 1º de março do ano que vem.

Em São Paulo (SP), a expectativa da prefeitura é levar para as ruas 15 milhões de pessoas no Carnaval em evento sem restrições sanitárias.

No Distrito Federal (DF), o governador Ibaneis Rocha (MDB) anunciou que o poder público deve realizar festas públicas de Natal e Reveillon este ano. O gestor justifica os planos com o avanço da vacinação da população.

Em Salvador (BA), as festas serão realizadas mas o acesso às comemorações acontecerá mediante a apresentação do comprovante de vacina com a 2ª dose.

LEIA TAMBÉM

MPE diz que falta bom senso à população e pede proibição de festas em Cuiabá e VG

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMinistério da Saúde já distribuiu mais de 300 milhões de doses de vacina contra covid
Próximo artigoDia das Crianças: comerciantes poderão abrir no feriado em Cuiabá e Várzea Grande