Estagiária de direito sofre tentativa de estupro em escritório de advocacia

Chefe advogada apoiou a vítima e expulsou abusador

jovem
Imagem ilustrativa

Uma estagiária de direito de 21 anos foi alvo de uma tentativa de estupro nessa quinta-feira (10) em escritório de advocacia em Sinop (500 km de Cuiabá).

Segundo relato da vítima, ela estava no estágio quando o suspeito, que estava arrumando o papel de parede do local, começou a enviar vários gifs pornográficos para ela no celular.

Ela ficou incomodada e ele deu uma desculpa que o celular estava no bolso dele enviando as mensagens sozinho. A jovem, então, disse que tudo bem e levou na brincadeira.

O suspeito, no entanto, não parou e mandou uma mensagem dizendo que “queria sair da rotina” com a vítima e que queria beijá-la.

A estagiária pediu que ele parasse imediatamente de mandar esse tipo de mensagem, visto que ambos são casados. Em seguida, ela contou à patroa, advogada, o que estava acontecendo no escritório.

A advogada apoiou a estagiária e mandou uma mensagem de áudio para o aplicador de papel de parede pedindo que ele parasse de assediar a estagiária e fosse embora do escritório.

Porém, quando a estagiária foi abrir a porta para o suspeito sair, ele a agarrou e tentou beijá-la à força. A jovem reagiu e o empurrou.

Minutos depois, ele retornou ao escritório e tentou entrar novamente. A advogada, dona do local, mandou novamente mensagem ao suspeito ordenando que se ele se retirasse do local, senão chamaria a polícia.

O suspeito ainda tentou ligar para a vítima enquanto estava em frente ao escritório, mas ela não atendeu. Por fim, a polícia foi acionada, mas não encontrou o suspeito.

O caso foi registrado como tentativa de estupro, importunação sexual e perseguir alguém, reiteradamente e por qualquer meio, ameaçando-lhe a integridade física, psicológica, restringindo-lhe a capacidade de locomoção ou, de qualquer forma, invadindo ou perturbando sua esfera de liberdade ou privacidade.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMeio ambiente
Próximo artigoTJ arquiva queixa-crime de Emanuel contra procurador do MPE