“É medida populista”

Mauro Mendes sugere que Bolsonaro esteja de olho em 2022 ao baixar Pis/Cofins dos combustíveis

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

O governador Mauro Mendes disse que não seguirá o presidente da República, Jair Bolsonaro, na proposta de redução de impostos sobre combustíveis, uma medida para tentar baixar os preços ao consumidor final.

Ele afirma que não existe alternativa para o Estado repor o recurso que não seria arrecadado, caso a medida fosse adotada. 

Mendes não evitou críticas a Bolsonaro por causa de uma decisão que ele considera “populista” – o governo busca agradar caminhoneiros que estão há algumas semanas em manifestações intermitentes. 

“Eu não vou fazer medida populista, não vou agir pensando em 2022. Quando o poder público – seja municipal, estadual ou federal – administra mal, quem paga a conta é a população. Pode escrever: essa conta vai chegar em algum momento”, disse.  

O presidente Bolsonaro anunciou a redução da cobrança sobre Pis/Cofins sobre combustíveis e orientou os Estados a baixar a alíquota do ICMS.

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorComércio: 2021 tem o pior fevereiro em 10 anos
Próximo artigo“Está há 11 meses em casa, sem trabalhar”, diz Bolsonaro sobre presidente da Petrobras