Congresso reinstalará CPMI das Fake News para acompanhar eleições

Comissão buscará parcerias com TSE, Ministério Público e Polícia Federal para apurar denúncias de difusão de informação falsa

(Foto: Pixabay )

O Congresso vai reinstalar em fevereiro a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga a produção e propagação de informações falsas (fake news), para acompanhar as eleições gerais. 

O presidente da comissão, senador Ângelo Coronel (PSD-BA), diz que o foco ficará concentrado nas denúncias que serão repassadas a Polícia Federal, Ministério Público e Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

“Nós temos que fazer todos os esforços para combater esse câncer digital, a distorção intelectual que tem na cabeça de muitos marginais, que difamam as pessoas nas redes sociais”, afirmou. 

A CPMI foi instalada em 2019 e os trabalhos foram suspensos em 2020 por causa da pandemia do novo coronavírus. Para este ano, o colegiado pretende fazer parcerias com órgãos fiscalizadores das eleições. 

Em 2021, o assunto das informações falsas foi destaque no Congresso. Em setembro, o presidente Jair Bolsonaro (PP) editou uma Medida Provisória (MP) que limitava a remoção de fake news, desinformação e conteúdos considerados de ódio da internet, na modificação do Marco Civil da Internet. 

Na mesma semana da publicação da MP, a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, suspendeu a sua validade. Ela acatou pedidos de partidos políticos e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). 

Em dezembro, a Comissão de Trabalho da Câmara Federal aprovou um projeto que tipifica como crime de responsabilidade a divulgação de informações falsas em veículos oficiais do Poder Público. 

Outro ponto vinculado ao assunto está em ação que Supremo deve analisar neste semestre, sobre a responsabilidade das empresas administradoras de redes sociais na publicação e divulgação de fake news. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAlexandre Moraes autoriza saída de Roberto Jefferson para exames médicos
Próximo artigo“Fomos substituídos por essa turma do centrão”, diz ex-ministro sobre governo Bolsonaro