Tribunal do crime: polícia cumpre mandados de busca e apreensão contra envolvidos em execução sumária

Vítima foi agredida na rua com pedaços de pau e golpes de enxada e conseguiu fugir para a casa dos pais, onde foi interceptado pelos criminosos que o executaram a tiros na frente da mãe

Foto: Assessoria

A Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) da Capital deflagrou mais uma fase da operação Comando da Lei e cumpriu quatro ordens judiciais relacionadas à investigação de um homicídio ocorrido em Cuiabá. A morte seria resultado de uma ordem do “tribunal do crime” de uma organização criminosa.

O caso apurado é da morte de Rogério Pinheiro de Paula, de 33 anos. O rapaz foi assassinado em 18 de setembro deste ano, no bairro Cohab São Gonçalo, em Cuiabá. A motivação do crime seria o desentendimento entre a vítima e membros da facção.

Rogério foi agredido pelos suspeitos com pedaços de pau e supostamente por uma enxada em frente a sua residência. O rapaz conseguiu fugir das agressões, dando uma facada em um dos agressores, e foi correndo para casa dos pais.

Os criminosos seguiram a vítima que foi contida na residência e cruelmente executada com três disparos de arma de fogo em frente a sua mãe, que chegou a implorar para que os suspeitos não matassem seu filho.

Execução filmada

Durante a execução, enquanto um dos suspeitos efetuava os três disparos que atingiram a vítima no abdômen, pescoço e cabeça, o outro filmava toda a ação criminosa. Após os fatos, os suspeitos fugiram do local em uma caminhonete Toyota Hilux.

Segundo o delegado responsável pelas investigações, Caio Fernando Alvares Albuquerque, o caso retrata mais um homicídio fruto do “tribunal do crime”, em que integrantes de uma organização criminosa julgam e decidem pela morte da vítima, pelo simples fato de entender que houve descumprimento de regras impostas.

“Como amostra do ‘prêmio’, o comparsa filma toda a ação em seu celular. Ao final, o executor se vangloriou do seu ato dizendo ‘já fiz o serviço’”, narrou o delegado.

Ordens judiciais

As ordens judiciais de busca e apreensão domiciliar foram cumpridas na manhã desta quarta-feira (8) e terça-feira (7).

Hoje, o alvo foi um casal um casal, que de acordo com as investigações, devido a desentendimentos com a vítima foi responsável por acionar a organização criminosa para “dar uma resposta”, resultando na sua execução.

Anteriormente, dois mandados de busca e apreensão domiciliar também já tinham sido cumpridos. Mas não foram fornecidos detalhes dos locais alvos das ordens.

De acordo com a polícia, os envolvidos identificados também estão com mandados de prisão decretados por homicídio qualificado pelo motivo torpe e recurso que impossibilitou a defesa da vítima.

Porém, os suspeitos estão foragidos.

(Com informações da assessoria)

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMT tem 450 mil doses de vacina contra a covid-19 estocadas
Próximo artigoJustiça nega indenização à família de trabalhador morto por trator dirigido por criança