Com isolamento social crimes contra mulher diminuem 35% em Mato Grosso

E nenhum caso de estupro de vulnerável foi registrado, bem diferente do mesmo período no ano passado

Imagem ilustrativa (Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O período de isolamento por conta da pandemia de coronavírus provocou a diminuição de registros de ocorrências com vítimas femininas entre 18 e 59 anos, em 35%.

Outro resultado positivo apontado pela Superintendência do Observatório da Violência indica que caiu para zero o número de denúncia de estupro de vulnerável. Certamente, porque no período de vigilância, a presença da família deve inibir abusos.

A pesquisa comparou o período de 10 a 24 de março de 2019, com os mesmos dias de 2020.

Segundo a Sesp, no ano passado 2.170 casos foram registrados, enquanto neste ano houve a redução para 1.402.

Nesses casos estão incluídos alguns dos principais casos de violência contra as mulheres, como ameaça, homicídio doloso e assédio sexual, por exemplo.

Redução em números

Conforme os dados, o crime de ameaça, que é o mais registrado com vítimas femininas, passou de 958 casos em 2019 para 657 casos em 2020, uma redução de 31%.

Lesão corporal de 473 diminuiu para 326. Já o crime de assédio sexual apresentou uma diminuição grande, de 63%, passando de 19 ocorrências em 2019 para sete neste ano.

Vigilância em casa

O melhor resultado, no entanto, foi em relação ao crime de estupro de vulnerável, que em 2019 teve seis registros e em 2020 não teve nenhum caso.

Estupro e importunação sexual aumentaram

O estupro teve um caso a mais que em 2019, quando Mato Grosso registrou 13 casos. Importunação sexual também teve aumento, saltando de um para sete em 2020.

Já a tentativa de homicídio seguiu como a maioria dos crimes e reduziu, passando de 19 anos em 2019 para 11 em 2020, uma redução de 42%. Os homicídio consumados, no entanto, aumentaram, foram quatro em 2019 e seis em 2020.

Menos difamação e calúnia

Os crimes de injúria, difamação e calúnia reduziram em 37%, 59% e 40%, respectivamente. Ocorrências de perturbação da tranquilidade também foram menos registradas em 55% (30 casos em 2020 e 67 casos em 2019). Foram identificados ainda -34% de casos de violação de domicílio.

Cuiabá e Várzea Grande

Os registros envolvendo vítimas femininas de 18 a 59 anos de idade também apresentaram redução em Cuiabá e Várzea Grande, sendo -32% e -23%, respectivamente. Na Capital, foram registrados 343 casos, entre 10 de março e 24 de março de 2020, contra 505 no mesmo período do ano anterior.

Já em Várzea Grande, as ocorrências reduziram de 203, neste período de 2019, para 156, este ano. Em nenhuma das duas cidades houve caso de homicídio doloso contra mulheres.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDoceria em Cuiabá é alvo de furtos por duas madrugadas seguidas
Próximo artigoPara aquecer os corações dos fãs em quarentena, Metallica libera shows na íntegra

O LIVRE ADS