Caminhoneiro sofre descarga elétrica após cabine tocar em fio de alta tensão

Com o choque, os 18 pneus do caminhão queimaram

Imagem ilustrativa / Freepik

Um caminhoneiro de 50 anos sofreu uma descarga elétrica nessa terça-feira (2), após a cabine de seu caminhão encostar em um fio de alta tensão. O acidente ocorreu em Santa Cruz do Xingu (1.245 km de Cuiabá).

Segundo relato do caminhoneiro, por volta das 10 horas, ele foi até o armazém Bungue e descarregou seu caminhão. Ao sair do local, um fio de energia de alta tensão triscou na cabine do caminhão e ele sofreu uma descarga elétrica imediatamente.

O caminhoneiro foi socorrido por terceiros e encaminhado a um Pronto Atendimento. El e teve lesões na região da cabeça, nas mãos, pernas e pés, mas passa bem e já recebeu alta.

Com a descarga elétrica, 18 pneus do caminhão foram queimados.

Segundo a vítima, funcionários da Energisa foram até o local e disseram que a altura dos fios de energia estava inadequada, em 5,8 metros, quando deveria ser, no mínimo, 7 metros.

O caso foi registrado como choque elétrico.

O que disse a Energisa?

Em nota, a Energisa fez um alerta sobre segurança: “nunca aproxime materiais metálicos da rede elétrica, pois são grandes condutores de energia e o acidente pode ser fatal. No caso de caminhões, não estacione e manipule cabines ou caçambas embaixo da rede elétrica. É importante ter cuidado com a instalação de antenas de rádio em caminhões, pois elas podem encostar na rede se o veículo precisar ser levantado”.

Em relação ao acidente em Santa Cruz do Xingu, a empresa afirmou que esteve no local e negou que a rede elétrica não estava na distância correta do solo. A Energisa disse, ainda, que a fiação estava intacta, sem cabos partidos e que um especialista em segurança entrou em contato com o caminhoneiro vítima para acompanhar o estado de saúde dele.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGoverno critica decreto de Emanuel Pinheiro e diz que prefeitura “comete erros”
Próximo artigoHome office: Senado quer regulamentar modalidade, mas há falhas no projeto