Biden bloqueia o resgate de cristãos no Afeganistão

Senador americano revela que o próprio governo dos EUA está atrapalhando a chegada de ajuda humanitária

Imagem: Getty Images

O Departamento de Estado do governo do presidente americano Joe Biden está bloqueando o resgate de cristãos no Afeganistão, nação comandada pelo Talibã desde o último dia 15, quando o grupo terrorista islâmico tomou o poder.

Após os bombardeios no aeroporto de Cabul no dia 26, o conservador americano Glenn Beck, comentarista de rádio e TV, arrecadou 30 milhões de dólares para contratar aviões fretados que levariam os afegãos adeptos do cristianismo daquele país onde estão marcados para morrer – até mesmo queimados vivos.

Beck, porém, encontrou obstáculos causados pelo próprio governo Biden, segundo informou o LifesiteNews.

Tendo já ajudado a colocar mais de 5 mil refugiados nos aviões, uma nova tentativa foi frustrada por um militar americano. O oficial mandou que cerca de 500 cristãos – a maioria composta por mulheres e crianças – prestes a embarcar no voo seguinte retornassem para a área não protegida do aeroporto de Cabul.

“Tenho imagens de sangue, de partes de corpos e de nada além de morte naquela mesma área”, disse Beck.

Falta de compaixão

Em conversa com o senador republicano Tom Cotton, do Arkansas, o comentarista destacou que países islâmicos do Oriente Médio “têm mais compaixão por esses cristãos que o governo americano”.

“Macedônia foi um desses países”, continuou Beck. “O Embaixador da Macedônia recebeu uma ligação do Departamento de Estado [dos Estados Unidos] mandando-o não receber nenhuma dessas pessoas. Que diabos…?”

“Ouvi relatos similares”, disse o senador Cotton. “Nem mesmo britânicos estão autorizados a entrar no aeroporto com seus parceiros afegãos e voar para a Grã-Bretanha com despesas próprias. Isso nem causaria impacto ao governo americano ou aos pagadores de impostos.”

“Deveríamos, no mínimo, deixar que os países dispostos a aceitar afegãos ou a enviar aviões fretados para Cabul limpem um pouco da bagunça do presidente Biden”, completou Cotton.

Leia AQUI a reportagem completa.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMP impõe vacinação obrigatória
Próximo artigoModelo expulsa de shopping por roupas conta que ameaçaram chamar a polícia para removê-la