Trabalho remoto com Alta Performance – parte 2

Por Francisney Liberato

O trabalho edifica o homem, e o homem sábio entende as vantagens de se reinventar diante das circunstâncias da vida, especialmente as que pedem a execução do ofício de um modo diferente.

Trabalhar nunca é demais, e, na medida em que trabalhamos, aprendemos e moldamos a nossa vida rumo à evolução. O trabalho produz dignidade ao ser humano, pois é por intermédio dele que adquirimos recursos para suprir nossos anseios e sonhos.

Fomos preparados e acostumados com o ritmo de trabalho que nos acompanha há muitos séculos, o trabalho tradicional nas indústrias, comércios, agronegócio, prestação de serviços e outros. Porém, durante a pandemia, foi necessário readequar-se para atender às necessidades do momento.

Uma expressão muito utilizada em 2020 é o chamado “novo normal”, que em outras palavras significa uma nova fase a se adaptar, e isso engloba a maneira de trabalhar, de estudar, de interagir com as pessoas, de viver de uma forma geral. Provavelmente, não haverá o retorno integral das atividades de um trabalho tradicional, é necessário nos acostumarmos com o novo normal.

Mudar é difícil, mas não mudar pode ser fatal. Enquanto existir fôlego de vida, ainda assim será permitido que mudemos. É bom frisar que só não muda quem está morto. O novo cenário proposto requer de nós força de vontade e resiliência.

Com base nesse novo normal, destacamos a presença do trabalho que não requer a presença física do empregado na empresa ou entidade pública, são vários os sinônimos utilizados para dar sentido a essa forma de trabalho: trabalho a distância, home office, teletrabalho, trabalho remoto etc.

Depois de dias e meses vivendo na pandemia de 2020, as entidades, de uma forma geral, estão repensando a forma de trabalhar, para que seja implantado de maneira paulatina e permanente o trabalho remoto. Não me refiro apenas às empresas privadas como também às instituições públicas.

Há várias possibilidades da sua implantação, desde um trabalho 100% remoto a um trabalho remoto parcial. Esse novo trabalho pode ser estendido a servidores, empregados, comissionados e até àqueles que possuem cargos de liderança, chefia, direção, a depender da necessidade de cada entidade. O que antigamente era uma exceção, no cenário do novo normal, podemos dizer que é e será uma regra.

Quais seriam as vantagens da implementação do trabalho remoto de forma permanente? Podemos elencar alguns pressupostos que traduzem melhor o sentido dessa nova forma de pensar, quais sejam: redução de despesas administrativas, melhores resultados dos servidores, atingimento de metas e produtividade, eficiência, liberdade, qualidade de vida; o local de desempenho do trabalho é indiferente para o empregador, a rotina do trabalho é gerenciada pelo próprio empregado, dentre outras vantagens.

O trabalho remoto pode ser expandido a muitos empregados ou funcionários. A propósito, o site “Metrópoles” informa: “há 357,7 mil servidores públicos federais trabalhando em casa, incluindo as instituições da Rede Federal de Ensino. Esse número representa 63% do total da força de trabalho da Administração Pública Federal”.

Já o site da “Globo” informa que o trabalho remoto gera economia que, aliás, é extremamente importante, principalmente durante e após a pandemia: “De acordo com dados oficiais, houve uma economia de R$ 270 milhões entre abril e junho com despesas com diárias e passagens, além de mais R$ 93 milhões, entre março e maio de 2020, com a redução de outras despesas – adicional de insalubridade, de irradiação ionizante, periculosidade, serviço extraordinário, adicional noturno e auxílio transporte”.

Vale reforçar que, de acordo com o último site, as novas regras do Governo Federal serão assim: “As novas regras do governo determinam que as despesas com internet, energia elétrica, telefone e outras semelhantes são de responsabilidade do participante que optar pela modalidade de teletrabalho. Acrescentou que não haverá cômputo de horas extras ou de banco de horas, e que também não haverá pagamento de auxílio transporte nem adicional noturno – exceto, no último caso, quando a atividade for necessária e desde que autorizada pela chefia imediata”.

O Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso teve aumento de produtividade no novo normal, de acordo com o seu site oficial: “Nos exatos três meses de trabalho remoto, foram contabilizados 44.183 atos técnicos e administrativos efetuados pelo corpo funcional do TCE-MT e MPC. A produtividade do corpo técnico registrou 16.643 atos do corpo de gestão 15.092, e, do corpo deliberativo, 12.448 atos. A produtividade dos órgãos é avaliada no período de 18 de março a 18 de junho de 2020”.

O site “Juridoc” apresenta alguns dados e pesquisas sobre o trabalho remoto, quais sejam: “72% dos recrutadores de talento concordam que a flexibilidade do trabalho (como a opção de fazer home office) será muito importante para o futuro do RH e do recrutamento; 83% dos trabalhadores dizem que uma oportunidade de trabalho remoto os faria se sentir mais felizes em seu trabalho (Owllabs); 40% das pessoas dizem que um horário flexível seria a melhor vantagem de trabalhar remotamente (Buffer)”.

Ainda, temos os dados apresentados no site indicado anteriormente sobre a produtividade: “De acordo com uma pesquisa da Canada Life, os trabalhadores em casa classificam sua produtividade como 7,7/10, em comparação com 6,5/10 para trabalhadores de escritório. Uma pesquisa da Universidade de Stanford constatou que os funcionários que trabalham em casa são 13% mais produtivos do que seus colegas de trabalho. O mesmo estudo apontou que 70% dos trabalhadores remotos afirmam que o teletrabalho melhorou sua produtividade. Segundo uma pesquisa da CosoCloud, 77% dos funcionários remotos dizem que são mais produtivos quando trabalham em casa. O estudo da CosoCloud também aponta que 23% dos trabalhadores remotos dizem que trabalham mais horas em casa do que no local de trabalho. Uma pesquisa da Springer aponta que colaboradores com atividades altamente complexas que exigem pouca interação com as partes interessadas são mais produtivos quando remotos do que em um escritório”.

A comunicação entre os membros da entidade deve ser a mais assertiva possível. Com o trabalho remoto, como não há presença física, é necessário que haja eliminação de ruídos, para que assim a mensagem chegue de forma correta.

A tecnologia atual dispõe de vários aplicativos e sistemas que facilitam a comunicação das pessoas que estão trabalhando a distância, como: Zoom, Meet, Skype, Messenger e Whatsapp. Ainda temos a possibilidade de salvamento e compartilhamento de arquivos nas nuvens, como: Google Drive, One Drive e Dropbox. Há possibilidade de acesso dos computadores a distância como o sistema Anydesk. Há ainda a tendência de novos sistemas e aplicativos surgirem daqui para frente.

Vale lembrar que o trabalho remoto deve ser moldado para cada empregado, uma vez que as pessoas são diferentes e, provavelmente, nem todos os colaboradores conseguirão ter o mesmo desempenho trabalhando em casa.

É extremamente importante que o empregado seja organizado, disciplinado, focado, responsável, dedicado, flexível, dentre outros adjetivos, para que consiga bons resultados.

E, para melhorar o ambiente do home office, vão algumas dicas de alta performance: invista em um ambiente adequado, tanto sob o ponto de vista da iluminação, internet, mesa, cadeira e materiais de escritório. O ambiente deve ser silencioso e bem climatizado. Cuidado com as distrações das redes sociais, familiares e animais de estimação. Defina um planejamento diário de suas atividades, com intervalos. Invista na organização do seu trabalho.

A chefia deve acompanhar o rendimento individual de cada servidor, de forma permanente e periódica. As regras sobre os trabalhos devem ser transparentes, objetivas, com prazos e qualidade.

O novo normal já chegou, não perca a oportunidade de investir tempo na “nova” forma de trabalho. Está provado que o trabalho remoto permite que os trabalhadores tenham mais flexibilidade e maior satisfação com o emprego, além de um aumento significativo da produtividade. As mudanças chegam em nossas vidas com um propósito, portanto, trabalhe remotamente com alta performance. Seja diferenciado com os seus resultados.

Francisney Liberato Batista Siqueira é Auditor Público Externo do Tribunal de Contas de Mato Grosso e Chefe de gabinete de Conselheiro do TCE-MT. Palestrante Nacional, Professor, Coach e Mentor. Bacharel em Administração, Bacharel em Ciências Contábeis (CRC-MT) e Bacharel em Direito (OAB-MT). Autor dos Livros: “Mude sua vida em 50 dias”, “Como falar em público com eficiência”, “A arte de ser feliz” e “Singularidade”.

http://www.francisney.com.br

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVídeo | Motorista perde controle de carro, atinge sucata e quase atropela moradora
Próximo artigoMT registra novo recorde histórico nas exportações de carne bovina