Taques x Taques

Ex-governador pode depor como testemunha sobre grampos

(Foto: Lucas Ninno/GCom)

O procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges, quer colocar Taques frente a Taques para falar sobre o esquema de escutas clandestinas que ficou conhecido como Grampolândia Pantaneira.

Ao aditar denúncia contra Paulo Taques, ex-secretário da Casa Civil, na tarde dessa segunda-feira (15), Antônio Borges apontou uma lista de testemunhas a serem arroladas. Entre elas, o ex-governador – e primo do acusado -, Pedro Taques.

Além dele, devem prestar depoimento sobre o caso as delegadas Alana Cardoso e Alessandra Saturnino, que teriam promovido grampos ilegais sob ordem de Paulo Taques; e o promotor de Justiça Mauro Zaque, que na época do esquema era secretário de Segurança Pública (ele teria sido o responsável pela denúncia à Procuradoria Geral da República, que trouxe à tona o escândalo).

Constam ainda o ex-secretário Fábio Galindo, também da Segurança Pública, as ex-servidoras Tatiane Sangalli, que seria amante de Paulo Taques e que foi grampeada, e Caroline Mariano, assim como o policial civil Rafael Meneguini.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorStan Lee seria o Capitão América idoso em Vingadores: Ultimato, diz teoria
Próximo artigoDesconto fake